Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 27/11/2015

Jovens cristãos fazem paródia para responder vídeo pró-aborto gravado por atores globais; Assista

2015-11-27-e1448629571303Um grupo de jovens cristãos fez uma paródia, com críticas abertas, ao vídeo pró-aborto “Meu Corpo, Minhas Regras”, estrelado por atores da TV Globo.

 

O vídeo em questão traz um discurso extremista de feminismo e prega a legalização do aborto como um reconhecimento de liberdades individuais da mulher. A repercussão nas redes sociais foi extremamente negativa, e o material tornou-se um dos que possui maior reprovação no YouTube.

 

A resposta dos jovens, intitulada “Meu Corpo, Teu Corpo”, traz argumentos contra o aborto, abordando passagens bíblicas que foram ironizadas no vídeo original.

 

“É impressionante quem teve o direito de nascer querer tirar o direito do outro nascer. Quem deseja o direito do próprio corpo, precisa respeitar o direito do corpo do outro”, diz o texto, ressaltando o valor da vida e os direitos das crianças.

 

“Nunca foi fácil ter uma criança no mundo. É milenar. Desde o tempo de Nossa Senhora […] a virgem Maria. Virgem? Virgem e mãe. Gravidez turbulenta. Família pobre. Treze anos e correndo o risco de ser morta apedrejada. Quanto medo, quanta insegurança. Essa sim tinha motivo de sobra para dizer não, mas ela disse ‘quero’, mesmo sem saber o que ia acontecer no futuro”, diz o texto, respondendo à argumentação dos defensores do aborto de que a virgindade de Maria seria um erro de tradução.

 

Assista:

 

 

 
Erro de tradução?

 
Assim que o vídeo viralizou nas redes sociais, o pastor Jackson Jaques gravou uma resposta aos produtores e falou sobre o contexto histórico e cultural para o uso da palavra hebraica “almah”, usada na profecia de Isaías sobre a concepção virginal de Jesus para descrever sua mãe, e explicou que eram usuais na época os termos não literais para descrever uma virgem.
Jaques acrescentou que 250 anos antes de Cristo, os tradutores que transcreveram o Velho Testamento para o grego tiveram a capacidade de compreender essa característica da literatura de séculos atrás: “Sempre que a Bíblia usa a palavra ‘almah’, está se referindo sim a uma virgem. A palavra ‘Bethulah’ se entende que toda moça em Israel é virgem. O termo usado para quando ela é nova é ‘Almah‘, porque seria uma redundância dizer que ela é virgem”.

 

Gospel +