Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 14/11/2017

Mãe de santo protesta contra entrega de Bíblias em câmara de vereadores, na Bahia

Na última terça-feira (7), uma sessão solene na Câmara de Vereadores de Simões Filho (BA) acabou gerando protestos de uma líder candomblecista. O motivo da indignação de Jaciara Ribeiro foi a entrega de Bíblias junto aos títulos de cidadão simões-filhense.

 

A líder candomblecista esteve na sessão acompanhando a líder quilombola Maria Bernadete Pacífico que receberia o título na ocasião. Porém ao ver que junto aos títulos também seria entregue uma Bíblia a cada um dos homenageados, Jaciara se revoltou.

 

“Perguntei se quem era de candomblé ganharia algo e ninguém me respondeu. Nesse momento, quebrei o protocolo e solicitei a palavra do plenário. Foi quando falei de toda minha história de luta contra a intolerância religiosa”, contou candomblecista que se apresenta como ialorixá (termo que faz referência à autoridade de um terreiro, mais conhecida como “mãe de santo”).

 

A atitude de Jaciara não teve aprovação do público presente que chegou a reagir com vaias no momento de sua declaração.

 

“Queria, como cidadã, o direito de lutar por esse retrocesso. Devemos saber que o Estado é laico”, disse a mãe de santo.

 

Fato é que nem mesmo a homenageada que estava sendo acompanhada pela mãe de santo se sentiu incomodada em receber uma Bíblia de presente.

 

“Eu não sabia o que tinha dentro. No entanto, quando cheguei em casa, percebi que era uma Bíblia. Não fiquei constrangida em receber o presente. Inclusive, sou batizada na igreja católica”, disse Bernadete.

 

A prefeitura de Simões Filho informou por meio de nota que o prefeito da cidade apenas participou das homenagens, sem ter qualquer atuação na organização da solenidade.

 

Já a Câmara de Vereadores explicou que a distribuição das honrarias com as Bíblias foi proposta do vereador Alfredo de Assis.

 

“Sempre em datas especiais como posse de vereadores, Dia da Mulher e no aniversário da cidade, faço essa distribuição. Foi um presente entregue aos homenageados”, disse o vereador, que alegou não ter o a intenção de promover qualquer tipo de proselitismo religioso.

 

GUIAME