Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 24/05/2016

Maioria das pessoas que param de ir à igreja mantêm fé cristã

2

Segundo levantamentos recentes, mais de 182 milhões de pessoas “sem igreja” no mundo se consideram
cristãos. A tendência de crescimento dos “desigrejados”, sobretudo na Europa, é uma espécie de “efeito
colateral da secularização”.

 
Embora nasçam em famílias de tradição cristã, a partir de uma certa idade, eles simplesmente abandonam
toda forma de religião organizada.De acordo com o Christian Today, uma pesquisa recente, contudo, mostra que isso não significa o “fim da fé”. Steve Aisthorpe, que trabalha com a Igreja Nacional da Escócia, disse em uma conferência sobre
estatísticas da igreja: “O quadro geral é de mudança. As pessoas estão expressando sua fé cristã de
maneiras menos institucionais.”

 

 
A pesquisa, conduzida por ele, nos últimos cinco anos, envolveu 10.000 pessoas. Cerca de dois terços
das pessoas que abandonaram a igreja declaram que isso não prejudicou a sua fé. Segundo ele, “as
pessoas geralmente não ficaram com raiva nem viam a igreja como algo negativo”.Quando questionadas, por que pararam de ir à igreja, a maioria dos entrevistados “tomou essa decisão depois de um longo período de decepção, frustração e dificuldades”. As queixas mais comuns eram com a irrelevância dos sermões diante de sua vida cotidiana. Cerca de metade delas “sentia-se em outro planeta quando ia à igreja”.

 

 

O líder da igreja anglicana em Manchester, David Walker, comentou sobre o estudo: “Às vezes, na igreja,
tem-se a sensação de que não queremos saber a verdade inconveniente [do evangelho]. Somente quando
compreendemos a realidade deste mundo é que decidimos nos envolver de verdade [na fé].”

 
Crise teológica e declínio

 
Apesar do aparente otimismo de seus líderes, o levantamento mais recente mostra que Igreja da
Inglaterra possui menos de 800.000 fiéis indo a um de seus templos aos domingos. Os índices são menos
de metade do que na década de 1960, quando o liberalismo teológico se tornou a norma.

 
Atualmente a igreja anglicana aceita o casamento homossexual e possui líderes abertamente gays.
No último censo do governo, o cristianismo ainda é a maior religião na Inglaterra e no País de Gales,
com 33,2 milhões de seguidores. Uma redução de 4,1 milhões em relação ao censo anterior, de 2001.
Em média, nas últimas duas décadas, são fechados 25 templos cristãos por ano no país A previsão para
2016 é de fechar pelo menos 2.000 templos. Algumas dessas igrejas estão em projetos para se tornar
feiras, centros comunitários e até circos.

 
Gospel Prime