Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 12/06/2015

Malafaia acusa imprensa de “proteger” a “esculhambação” dos símbolos cristãos por ativistas gays

pastor-silas-malafaia1O pastor Silas Malafaia fez duras críticas à imprensa como um todo pela cobertura feita sobre a Parada Gay em São Paulo, no último domingo, 07 de junho, quando ativistas gays usaram símbolos cristãos de maneira considerada agressiva e desrespeitosa.

 

A imagem de um travesti “pregado” a uma cruz, com uma coroa de espinhos, causou enorme comoção nas redes sociais e a revolta de diversos cristãos, entre católicos e evangélicos, que protestaram contra a forma como os homossexuais participantes do evento utilizaram sua liberdade de expressão.

 

No Twitter, o pastor Silas Malafaia comentou o episódio e classificou a imprensa de defender os interesses da militância homossexual.

 

“É vergonhoso ver a imprensa proteger a causa gay. Mais uma vez a parada gay esculhamba símbolos religiosos, que é crime (art 208), se calam. Jornalistas, devido a minha posição em relação ao Boticário, me chamaram homofóbico, intolerante e etc. E o gay na cruz? Jornalistas parciais. Que imprensa é essa que protege descaradamente a causa gay? É vergonhoso, uma imprensa de joelhos que se cala diante de absurdos dessa gente”, disparou.

 

Na sequência, o pastor disse ser “vergonhosa” a postura da imprensa, que repercutiu seu boicote à empresa de cosméticos por causa do comercial com casais homossexuais atribuindo homofobia a ele, mas não atribuiu desrespeito aos ativistas na Parada Gay.

 

“Falar contra O Boticário é ser intolerante. Debochar da fé de milhares na Parada Gay, pode. A imprensa se cala diante desse absurdo, vergonhoso! Não vai ter matéria de 1ª página dessa safadeza da Parada Gay contra símbolos religiosos? Que imprensa livre é essa que protege a causa gay?”, questionou.

 

Em seu canal no YouTube, Malafaia publicou um vídeo onde traça relação entre as militâncias homossexuais, petistas e a “imprensa parcial”; Assista:

 

Gospel +