Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 06/12/2016

“Maomé” é o 2º nome de criança mais popular no Reino Unido

imagesTodos os anos, o BabyCenter publica a lista dos nomes mais populares do Reino Unido. Como vem se tornando comum nos últimos anos, ‘Mohammed’ – nome árabe de Maomé, o fundador do Islamismo – está entre os três mais comuns. Existem várias maneiras diferentes como ele pode ser escrito, dependendo do país de origem dos pais.

 

O site do jornal Metro apresentou o ranking de popularidade deste ano, mostrando que o primeiro lugar ficou com ‘Oliver’. Contudo, na capital Londres, as posições se invertem e ‘Mohammed’ está no topo da lista.

 

Mais do que uma curiosidade, os índices revelam o crescimento de uma tendência cultural. Enquanto os cristãos vêm optando por ter cada vez menos filhos, os muçulmanos continuam procriando e homenageando o seu profeta dando seu nome aos meninos que nascem na família.

 

Por outro lado, se um casal cristão desejar batizar seu filho com os nomes “Jesus”, “Christ” ou “Messiah” [Messias], será impedido pela lei vigente no Reino Unido e na Austrália, que oficialmente pertence ao mesmo “reino”, governado pela Rainha Elizabeth.

 

Guetos islâmicos se multiplicam

 

O relatório de popularidade dos nomes Mohammed é divulgado na mesma época em que a imprensa inglesa mostra como os guetos islâmicos se multiplicam pelo Reino Unido. O Daily Mail revelou que um levantamento do gabinete Dame Louise Casey, responsável pela “integração” dos imigrantes, traz resultados surpreendentes.

 

Em algumas partes da ilha, comunidades de muçulmanos vivem isolados do restante da sociedade. Raramente saem de seus bairros e possuem seus próprios conjuntos habitacionais, escolas e canais de televisão. Há, inclusive, as “patrulhas da virtude”, comuns em países do Oriente Médio. Elas obrigam as mulheres a cobrirem a cabeça e censuram qualquer tipo de manifestações que não siga a sharia, lei religiosa baseada no Alcorão.

 

Esses islâmicos acreditam, por exemplo, que a maioria dos britânicos compartilhar de sua fé, pois a Grã-Bretanha é um país muçulmano onde 75% segue o Islã, segundo fontes que viram o relatório.

 

O estudo indica que esses enclaves muçulmanos estão concentrados em áreas ao norte, como Bradford, Dewsbury e Blackburn. Oficialmente, o governo estuda maneiras de aumentar a ‘integração’ dessas pessoas com o restante do país.

 

Dados do último Censo, de 2011, indicavam que o número de muçulmanos no Reino Unido era menos de cinco por cento, enquanto os cristãos seriam quase 60%. Porém, as taxas de natalidade e afluxo de imigrantes, indicam que até 2050 o cristianismo será uma religião minoritária não só na Grã-Bretanha, mas também na França.

 

GOSPEL PRIME