Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 07/11/2014

Mercado gospel movimenta R$ 1,5 bilhão e reality show quer descobrir novo Thalles; Assista

thalles-roberto-gospel-singer A indústria fonográfica gospel tem conquistado números expressivos no mercado de música, tendo no cantor Thalles Roberto o principal ícone de um segmento que movimenta R$ 1,5 bilhão por ano no Brasil.

 

Os 42,3 milhões de evangélicos do país formam um nicho enorme de potenciais consumidores, e tanto dinheiro sendo movimentado em nome da fé motivou a criação de um reality show nos moldes dos conceituados The Voice e American Idol, que ganharam adaptações brasileiras nas principais emissoras do país.

 

A versão cristã do programa de competição musical é o Gospel Singer, transmitido pela Rede Gospel de Televisão, emissora da Igreja Renascer em Cristo.

 

O mote do programa, segundo a jornalista Anna Virginia Balloussier, da Folha de S. Paulo, é descobrir o novo Thalles Roberto. O próprio cantor – que não quer ser mais chamado apenas de gospel – afirma que é natural que exista uma competição entre os músicos evangélicos: “Cada igreja tem um cantor, e cada cantor quer ser um grande cantor”, explica.

 

Para a gerente da gravadora Universal Music Christian, Renata Cenízio, o segredo do sucesso no meio gospel é ser identificado como parte do rebanho: “O mercado busca quem tem relacionamento real com as igrejas, pois vem de lá o público”, resume.

 

“A palavra é credibilidade. Qual igreja frequenta? É ativo nela? É boa mãe ou bom pai?”, diz o cantor e pastor André Valadão, que atualmente integra o elenco da gravadora Som Livre, do Grupo Globo.

 

Assista à matéria da TV Folha:

 

 

Para André Valadão, a mensagem se mantém intacta, mas a embalagem dos cantores já não se diferencia tanto dos artistas seculares: “É como música clássica, você não vê mulher cantando de maiô ou shortinho. Mas somos contemporâneos. Faço show de All Star e calça rasgada”.

 

O reality show Gospel Singer teve 2.357 inscritos e a banda vencedora foi a Tempo de Adorar. “Tem pastor de igreja grande com artista que não consegue decolar. Aí não apoia quem está dando certo. O único que não tropeçou foi Jesus, né?”, comentou Guilherme Bueno, vocalista da banda, em tom de queixa.