Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 12/06/2014

Metalúrgicos pedem ajuda de vereadores para solucionar problema da Yazaki

16006-2Buscando solucionar o problema dos funcionários que ficarão desempregados, caso a empresa Yasaki realmente feche as portas, representantes do Sindicato dos Metalúrgicos estiveram presentes na Câmara Municipal de Feira de Santana, na manhã desta quarta-feira (11), para pedir apoio aos vereadores. Os sindicalistas conversaram com os edis no plenário e uma comissão foi formada pelo presidente da Casa da Cidadania, Justiniano França (DEM), para intermediar os acordos.

 

A comissão, formada pelos vereadores Alberto Nery (PT), Edvaldo Lima (PP) e Correia Zezito (PTB), participará da reunião que acontece hoje, às 15 horas, no Sindicato dos Metalúrgicos, onde estarão presentes prepostos dos Governos Municipal e Estadual, representantes do Sindicato e da empresa Yasaki.

 

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos, Fábio Dias, a Yasaki não tem mais interesse em permanecer na cidade e está dificultando os acordos com o Sindicato. “A empresa quer que o Sindicato aceite a demissão em massa, o que é proibido por lei, mas nós não vamos aceitar. Eles querem mãos de obra barata, por isso estão saindo de Feira”, afirmou.

 

Fábio relatou ainda que, se a empresa tiver interesse, ela pode manter uma parte dos funcionários, sem precisar demitir todos. “As peças do Fiesta não serão mais produzidas porque o carro sairá de linha. Mas, eles vão produzir outra peça para o Ecosport. Se eles produzirem essa peça aqui em Feira, eles podem manter, pelos menos, 800 funcionários e não precisará demitir todos. Mas, eles não querem isso”, revelou.

 

O diretor do Sindicato lembrou também que 1/3 dos funcionários da empresa Yasaki estão lesionados e agora sem assistência médica. “Muitos colegas estão lesionados por conta do trabalho realizado na empresa. São pessoas que estão bastante debilitadas e terão dificuldade para encontrar outro emprego e até assistência médica. Por conta de toda essa situação, quero pedir a ajuda dos parlamentares nessa batalha. A empresa não quer a interferência dos Governos nem dos parlamentares, mas nós precisamos dessa ajuda”, pediu Fábio.