Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 19/12/2016

Morgan Freeman irá abordar céu e inferno na segunda temporada de ‘A História de Deus’

540x350_morganfreeman1A National Geographic anunciou a temporada segunda temporada de “A História de Deus” com o ator Morgan Freeman. Dessa vez, ele irá examinar questões sobre o céu e o inferno, predestinação e a prova da existência de Deus.

 

De acordo com um comunicado de imprensa disponibilizado para o site Gospel Herald, a segunda temporada da série indicada ao Emmy, que estreia no dia 16 de janeiro nos EUA – e no primeiro semestre de 2017 no Brasil -, “levará os telespectadores ao redor do mundo em busca de compreensão religiosa e conectividade através da lente das principais religiões, ciência, antropologia e arqueologia”.

 

Cada um dos três episódios da nova temporada vai explorar um tema diferente: “O escolhido?”, “Prova de Deus” e “Céu e Inferno”.

 

“Uma das coisas que mais gostamos de fazer nesta série é encontrar os fios interligados que todos os humanos compartilham em diferentes culturas, crenças e ideologias quando se trata de buscar a compreensão dos grandes mistérios da vida”, disse Freeman. “Espero que esta série continue a não apenas entreter e informar, mas também para abrir um diálogo que nos permita entender nossos vizinhos tanto aqui nos EUA e em todo o mundo”.

 

Em cada episódio, Freeman se reunirá com líderes religiosos, cientistas e arqueólogos para ajudá-lo a entender esses tópicos. Esses indivíduos incluem Kenneth Bae, o missionário cristão condenado pela Coréia do Norte por supostamente “planejar a derrubada do governo norte-coreano”, além de uma mulher que experimentou o céu depois que seu coração parou por oito minutos.

 

Locais visitados

 

Assim como na temporada anterior, “A História de Deus” vai visitar alguns dos lugares mais sagrados do mundo, incluindo Angkor Wat no Camboja, construído no século 12 como um modelo de céu hindu; A Torre do Diabo em Wyoming, que a tribo Lakota acredita ser um dos pontos de poder de sua adoração; As cavernas subaquáticas dos maias no México, que eles acreditavam ser as entradas para o céu e o inferno; O Templo Dourado em Amritsar, na Índia, o santuário mais sagrado da fé Sikh; E a celebração Meskel na Etiópia que comemora a descoberta da verdadeira cruz por Helena, mãe do imperador romano Constantino.

 

O programa será exibido em 171 países, em 45 idiomas, incluindo uma versão em espanhol da Nat Geo Mundo em colaboração da Revelations Entertainment e a National Geographic Channel.

 

Em entrevista à CBS News, Freeman disse que espera que a série possa unir as pessoas de diferentes religiões. “Nessa situação, esperamos que o público em geral receba a lição da igualdade da condição humana”, disse ele. “Nós não somos tão diferentes quanto poderíamos pensar que somos, todos estamos procurando a mesma coisa e fazendo as mesmas perguntas, e basicamente chegando com as mesmas ideias sobre quem somos, o que somos e para onde vamos”, disse.

 
GUIAME