Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 22/05/2018

Mulher é tratada como “doente mental” por se recusar a negar a fé em Jesus

Na maioria dos casos envolvendo perseguição religiosa aos cristãos, às práticas de tortura, violência psicológica e outros agravos são realizados por terceiros, pessoas que não possuem vínculos com a vítima. Todavia, como se já não bastasse a dificuldade de ser um cristão na sociedade, alguns enfrentam isso diariamente, dentro da própria casa.

 

Esse é o caso de Ran, uma cristã que há 10 anos decidiu entregar sua vida para o Senhor Jesus Cristo, lhe reconhecendo como Único e Suficiente Salvador. Na época ela ficou noiva, e para sua felicidade seu futuro esposo também optou por viver conforme os ensinamentos da Bíblia.

 

Já no início, porém, a decisão que o casal havia tomado não foi nada fácil. Os familiares pressionaram muito para que eles renunciassem a fé. Então eles tiveram que se mudar para outro vilarejo, para evitar a pressão da família.

 

Oito anos depois, porém, o marido de Ran achou melhor voltar para junto da família, retornando para a antiga moradia localizada no centro de Butão, um pequeno país localizado no sul da Ásia, onde a religião oficial do Estado é o Budismo Vajrayana.

 

O marido de Ran não suportou a pressão da família e decidiu abandonar sua fé em Jesus Cristo. Desde então, com o apoio dos seus parentes, ele iniciou uma série de práticas intolerantes para tentar impedir sua esposa de vivenciar o cristianismo, não deixando ela sair para encontros com outros cristãos e a tratando como “doente mental”.

 

Até a escola onde a filha de Ran estuda recebeu um pedido do pai para não deixar que a esposa se aproximasse do colégio. Humilhada publicamente pelos próprios familiares, Ran luta para tentar resistir a opressão que sofre ao lado do homem que um dia orou ao seu lado.

 

A organização Portas Abertas pede aos irmãos em todo o mundo que orem por Ran, para que Deus lhe sustente e conforte em cada momento:

 

“Clame para que apesar da pressão, ela não volte atrás na sua fé, mas ao invés disso permaneça firme no Senhor. Interceda para que seu marido se arrependa e reconheça que nosso Deus é o único digno de louvor e adoração. Peça também por sua filha, para que possa ver as mãos do Senhor agindo em sua família”, pede a entidade.

 

 

Gospel +