Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 31/05/2017

“Não é bom despertar o amor antes da hora”, diz pastor sobre namoro na adolescência

Quando é a hora certa de namorar? Essa pergunta pode martelar por bastante tempo na cabeça dos pais. Para o pastor Antônio Carlos, da Igreja Presbiteriana Central de Contagem, o namoro só deve ter início na vida de um jovem quando ele estiver maduro o suficiente para lidar com esses novos desafios.

 

“Eu vejo a questão do namoro como algo de Deus, que a gente tem que, conforme Provérbios 24:27, fala, que antes que a pessoa procure namorar ela tem que programar a sua vida lá fora e depois edificar a casa”, disse em entrevista para o programa Bate-Papo.

 

“Eu vejo que, em primeiro lugar, para a pessoa pensar em namoro ela tem que primeiro edificar os negócios, estudo, ministério, idade. Por isso que eu creio que namoro é depois dos 18 anos, depois que a pessoa estiver focada, madura espiritualmente, psicologicamente. E também ter foco na sua vida profissional e ministério de igreja. Porque uma pessoa abaixo dessa idade não tem maturidade para suportar um relacionamento”, alertou.

 

O pastor afirma que tais regras são aplicadas em sua casa, com seus filhos. “Sou pai e estabeleci esse princípio na minha casa. Sou pai de três adolescentes. Minha filha, só depois que ela fez 18 anos. Ela tinha que focar na faculdade, ter maturidade, ministério e depois de focar sua vida aí você pensa em ter um relacionamento. Acho que um adolescente, uma pessoa muito nova, imatura, a Bíblia fala que não é bom despertar o amor antes da hora”, ressaltou.

 

E na igreja?

 

Para o pastor Rony Carrijo, da Igreja Batista da Lagoinha Palmeiras, é preciso orientar bem os adolescentes da igreja. “Eu como pastor, e trabalho com jovens a muito tempo, tenho esse cuidado de fazer eles entenderem os princípios”, comentou.

 

“Um garoto na minha igreja esses dias me procurou apaixonado por uma garota. E eu perguntei: ‘Qual o propósito de namorar com 16 anos? Só pra beijar na boca?’ Ai eu abri o verbo com ele. ‘Você vai ficar com desejo sexual, vai querer praticar e se não praticar vai ficar pecando do mesmo jeito’”, aconselhou o pastor.

 

“Qual o propósito, a ideia da corte quando surgiu? Foi tentar trazer a ideia de um namoro puro, na essência. É um namoro que ensina a não ter muita prática de toque, não pode beijar, não pode ficar sozinho pra lá e pra cá. É uma coisa meio à moda antiga, de cortejar mesmo. E essa é uma coisa que se perdeu na nossa geração. Quando eu comecei a paquerar minha esposa mesmo disse: ‘Os homens não sabem paquerar as mulheres, ainda bem que você conseguiu isso’”, finalizou.

 

GUIAME