Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 23/03/2017

Odontólogos da rede municipal são capacitados sobre lesões

Com o tema “Estomatologia em Foco na Saúde Bucal de Feira de Santana”, a Secretaria Municipal de Saúde, através da Atenção Básica, promoveu na manhã dessa terça feira, 21, capacitação para os profissionais odontólogos da Atenção Primária.

 

Ivana Conceição, Apoiadora Institucional referência em Saúde Bucal, disse que o objetivo foi proporcionar aos profissionais mais conhecimento acerca das lesões. “Para que eles estejam aptos a distinguir normalidade de lesão e suspeita de um distúrbio maligno. E assim, resulte em um encaminhamento mais direcionado para o centro especializado”.

 

A mestra Veruschka Hana Sakaki Monteiro palestrou sobre o tema “Avaliação dos cirurgiões-dentistas da Atenção Básica para a ocorrência de fissuras orofaciais em Feira de Santana”, resultado de sua tese de mestrado que contou com o apoio dos odontólogos da Rede Municipal de Saúde.

 

Durante a abordagem, ela falou que a existências das fissuras orofaciais, também conhecidas como Lábio Leporino, fenda palatinas, é muito comum e abordar esse assunto é de grande importância para a saúde pública. “E por ocorrer na região da face está diretamente ligada ao cirurgião dentista”, disse.

 

Ela ressaltou que a sua pesquisa teve como conclusão o receio dos profissionais em realizar o tratamento clínico básico desses pacientes, e o que se pretende é “desmitificar esse medo, mostrar aos profissionais da atenção básica que eles têm condições de realizar um tratamento clínico. E isso facilita o acesso do paciente ao serviço e ao tratamento próximo de sua residência”.

 

“A equipe de saúde da família tem que estar preparada para acolher esses pacientes. E encaminhar aqueles que não for possível dar uma resolubilidade”.
Enfatizou que embora o tratamento seja demorado, é de extrema importância que a fissura seja detectada e cuidada logo nos primeiros anos de vida.

 

PREVENÇÃO

 

A pesquisadora ainda salientou a importância do papel da atenção básica nesse contexto, que além de atuar como porta de entrada para os pacientes portadores dessa má formação, consiste em acompanhar e prevenir. “Pois está atrelada a vários fatores ambientais, medicação, doenças crônicas, uso de agrotóxico, drogas, usado durante a gestação e pode ser evitado”.

 

Já o Dr. Marcio Campos Oliveira, mestre e doutor em Patologia, palestrou no segundo momento sobre: “Distúrbios potencialmente malignos em paralelo as alterações de normalidade”.

 

Ele afirma que esse é um momento importante de troca de conhecimento para os odontólogos da atenção básica, porque são eles que lidam mais de perto com a comunidade, e esses conhecimentos previnem o câncer de boca, permite o diagnóstico precoce.

 

Márcio acrescentou que os pacientes ganham com esses momentos de troca de informações, de conhecimentos, porque ele terá um atendimento com mais qualidade. “Primeiro, muitos sequer terão o câncer, porque os profissionais identificarão, e farão todo o processo antes do câncer se instalar. E depois os pacientes terão uma atenção mais especializada”, pontuou.

 

Secom