Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 27/12/2016

Ore por Aleppo? Pesquisa diz que poucos cristãos oram por refugiados

1380460344-aleppo-siriaEnquanto milhares de pessoas continuam evacuando Aleppo — cidade que já foi a mais populosa da Síria e uma das maiores comunidades cristãs do Oriente Médio — o apoio aos refugiados parece estar diminuindo.

 

Segundo uma pesquisa encomendada pela organização Visão Mundial e aplicada pela Ipsos, poucos cristãos tomaram medidas em favor dos refugiados nos últimos dois anos.

 

Em 2016, 38% dos cristãos disseram que se envolveram em causas com refugiados, comparado a 44% no ano anterior. Além disso, o número de cristãos que oram por refugiados sírios caiu em mais de um terço este ano, para 19%.

 

“É chocante ver que os cristãos, que são mantidos a um padrão mais elevado pelo nosso Senhor, estejam orando ainda menos pelos refugiados”, disse Richard Stearns, presidente da Visão Mundial.

 

No ano passado, os cristãos americanos se tornaram um pouco mais dispostos a compartilharem notícias sobre os refugiados nas mídias sociais (14%) e fazer doações aos grupos de ajuda (11%), informou a Visão Mundial.

 

Estima-se que 25 mil sírios tenham fugido do leste de Aleppo desde que um cessar-fogo entre o governo e grupos rebeldes começou na semana passada.

 

Como resultado dos confrontos, a localização de algumas ​​igrejas que remontam aos primeiros anos da fé se encontram em situação precária. Apesar da violência, a maioria das igrejas ainda funcionam no lado ocidental da cidade, controlado pelo governo. Na quarta-feira (21), uma bomba explodiu uma árvore de Natal iluminada no oeste de Aleppo, onde líderes cristãos e oficiais do governo estavam reunidos.

 

Diante da guerra civil, a população da Síria começou a se espalhar em 2011; cerca 6,1 milhões de sírios permanecem deslocados dentro de seu país e 4,8 milhões estão como refugiados. Metade dessas pessoas são crianças.

 

Uma pesquisa divulgada em janeiro pela LifeWay Research indicou que, apesar do apoio aos refugiados, muitas igrejas americanas apresentam preocupações em relação ao tema.

 

Mais da metade dos pastores batistas (56%) e pentecostais (50%) dizem que existe uma sensação de medo em sua igreja sobre os refugiados que vão para os Estados Unidos. O mesmo acontece com 33% dos pastores luteranos (33%) e 29% dos presbiterianos.