Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 11/08/2017

Padre Fábio de Melo enfrenta Síndrome do Pânico: ‘exigido o tempo todo’

Padre Fábio de Melo fez revelações íntimas em entrevista a Otaviano Costa no programa “No Ar”, da Rádio Globo, nesta terça-feira (8), e admitiu que sofre com Síndrome do Pânico – mesmo transtorno enfrentado por Giovanna Antonelli há 20 anos.

 
“Eu sou extremamente aberto a contar minhas fraquezas. Não tenho medo da minha humanidade”, declarou. “Eu sei que eu sou afetivamente exigido o tempo todo. Faz parte do meu trabalho”, completou.

 

‘UM DESGASTE EMOCIONAL NATURAL’, AVALIA RELIGIOSO

 

O padre atribuiu o surgimento da síndrome – diagnosticada no passado em Junior Lima – pela rotina agitada de trabalho. “As pessoas, quando elas se aproximam de mim, elas chegam muito afetuosas, muito cheias de histórias, e é claro que é um desgaste natural. Um desgaste emocional natural de tudo aquilo que eu faço.”

 

‘NÃO ME ESCONDO ATRÁS DE NINGUÉM’, DIZ PADRE SOBRE PERSONAGENS NA WEB

 

Famoso por seus comentários divertidos nas redes sociais, Melo comentou sobre o seu sucesso na internet e sobre os vários “papéis” que interpreta em suas postagens. “Eu gosto dos personagens. Eles me ajudam no Snapchat e no Instagram a dizer o que nem sempre eu posso diretamente dizer. Mas eu sou eu. Eu não me escondo atrás de ninguém. Eu gosto dessa verdade. A autenticidade é a fatura que a gente tem que pagar com gosto todos os dias.”

 

RELIGIOSO PULOU MURO DO SEMINÁRIO PARA NAMORAR

 

No “Caldeirão do Huck”, o padre admitiu que não ficou completamente casto na época que estudava para se tornar sacerdote e, inclusive, fugia do seminário para encontrar suas paqueras. “Namorei bastante durante o seminário. Eu pulava os muros. A castidade só veio aos 31 anos depois de estudar 16 anos para ser padre”, confessou. Melo, aliás, já foi vítima de rumores de casamento na internet. Sem perder o bom humor, Fábio ironizou a falsa notícia: “Arrumaram um casamento pra mim na outra rede. Mas não me convidaram. A gente morre e não vê tudo. Os fanfarrões me tornaram pastor metodista, e, de quebra, me arrumaram esposa”.

 

GOSPEL GERAL