Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 18/02/2015

Padres casados reforçam igreja, mas criam problema para Vaticano

foto-grupo-Recife2A Igreja Católica no Reino Unido autorizou alguns homens casados a se tornarem padres. Um deles é Robin Farrow, casado, pai de quatro filhos e a espera do quinto.Farrow era padre anglicano e se converteu à Igreja Católica, por conta disso a igreja o aceitou sem a obrigação de adotar o celibato.

 

O Vaticano aceita sacerdotes casados que vieram da Igreja Anglicana desde 2009 após um decreto assinado pelo papa Bento 16. Analistas dizem que a autorização foi uma manobra para atrair anglicanos descontentes com as decisões tomadas pela Igreja da Inglaterra como a ordenação de bispos homossexuais.

 

Mas se para brasileiros ter um padre casado e com cinco filhos pode causar estranheza, para a paróquia onde Farrow frequenta ele e sua família serão bem-vindos.

 
“Sei que muitos fiéis católicos podem estranhar a figura de um padre casado. Mas na minha paróquia eu tenho conversado com os fiéis há meses e recebi muitas palavras de apoio à minha situação”, disse ele à BBC Brasil.

 

Farrow tem 42 anos e estuda para ser religioso desde os sete anos, sua história de vida tem sido usada por religiosos que querem acabar com a obrigação do celibato.
O bispo Dom Erwin Kautler, austríaco que trabalha no Pará há 30 anos, é um dos que pedem a revisão da questão celibatária. O Xingu é uma área com 365 mil km², mas apesar dessa grandeza o bispo pode contar apenas com 27 padres.

 

A falta de sacerdotes é um dos principais motivos para que Kautler lute para que homens casados possam assumir trabalhos na Igreja Católica.
“Não estou defendendo o fim do celibato. Defendo que presidir a celebração da eucaristia, por exemplo, não seja uma prerrogativa exclusiva de um homem celibatário”, disse ele á BBC Brasil.
Pedofilia e Celibato

 

Quem é contra o celibato afirma que autorizar os padres a se casarem evitaria os casos de pedofilia que mancham a imagem da Igreja Católica em todo o mundo.
“Ninguém discute que o celibato tem seu valor, mas ele deve ser facultativo justamente para evitar desvios de comportamento por quem não está preparado para assumir um compromisso tão ilustre”, diz Alex Walker, padre britânico que deixou a vida religiosa para se casar, isso em 1988.

 

Assim como ele milhares de padres deixaram a batina para viver relações amorosas, o Vaticano acredita que só na Itália mais de 6 mil padres assumiram relacionamentos nos últimos anos.
Vaticano não aceita mudar as regras

 

O celibato foi imposto aos padres no século 12 e seu significado é “triunfo do espírito sobre a carne”, quem aceita se tornar um pároco deve renunciar suas vontades sexuais para se dedicar ao trabalho espiritual.

 

Mudar esta regra não faz parte dos projetos do Papa Francisco, que já foi procurado por Dom Erwin para autorizar que homens casados assumam paróquias.
Em agosto do ano passado o novo papa até comentou sobre o celibato, mas não fez nenhuma menção em mudar as regras, afirmando apenas que a exigência havia “criado problemas” para a Igreja.

 

BBC