Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 29/06/2017

Pais dizem que jovem que passou mal em academia pediu desculpas por usar anabolizantes antes de morrer

Os pais da jovem Jéssica Avelino Morais, de 25 anos, que morreu após passar mal enquanto treinava em uma academia de Salvador, disseram que a filha fazia uso de anabolizantes para ganhar massa muscular mais rapidamente e que, antes de morrer, pediu desculpas a eles pela utilização das substâncias.

 

Ainda não há, no entanto, informações sobre as causas da morte da jovem e nem se há relação com o uso dos anabolizantes. “Ela pediu perdão a mim e a mãe dela. Depois, deu a parada e não voltou mais”, relatou o pai da jovem, Joseval Moraes, em entrevista à TV Bahia.

 

O pai conta que tinha acabado de chegar em casa, na noite de terça-feira (27), quando ficou sabendo da notícia. “À tarde, eu fui assaltado e, quando cheguei em casa, o rapaz bateu na porta, perguntando se era aqui que morava a Jéssica. Eu já levantei doido já. Ele disse que ela tinha se sentido mal e que estava no hospital. Do jeito que estava eu sai e fui correndo para o hospital. Quando cheguei lá, ela ainda tava viva e os médicos fazendo de tudo”, destacou.

 

A mãe da jovem, Valdinete Avelino, conta que Jéssica era muito vaidosa e que malhava já há um bom tempo. Sempre ia para a academia depois que chegava do trabalho. “Malhava muito, muito mesmo. Ela corria muito na esteira”, contou.

 

A mãe disse que a filha, no entanto, queria acelerar os resultados da academia e que, por isso, começou a tomar os medicamentos por conta própria, sem passar por um médico. Valdinete ainda afirmou que, inicialmente, a filha tomava as substâncias econdido, sem que ninguém soubesse, mas que depois ela acabou descobrindo. A mãe diz que pediu que ela parasse de toma os medicamentos, mas ela não atendeu.

 

“Ele comprava e aparecia aqui com os remédios e eu dizia para não tomar para que o coração não fosse afetado. Teve um dia até que ela tomou e ficou em surto. Ficou ruim mesmo, parecia que ia morrer. A única coisa que ela dizia era: ‘oxente, mãe, não morre não'”, disse Valdinete.
Caso

 

Jéssica realizava exercícios na academia On Shape, que fica no bairro de Tancredo Neves, na noite de terça-feira (27), quando começou a passar mal. Ela ainda ainda chegou a ser levada para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro, mas não resistiu.

 

A Secretaria de Saúde de Salvador informou que os médicos ainda realizaram reanimação cardíaca por 40 minutos antes da vítima morrer. A mãe da jovem relatou que alertou a jovem várias vezes sobre o perigo do uso das substâncias, mas mesmo assim ela continuou tomando.

 

Segundo informações do Centro Integrado de Comunicação da Secretaria de Segurança de Pública (Cicom), o caso ocorreu por volta das 20h de terça-feira (27). Em nota publicada na rede social Facebook, a academia On Shape lamentou o ocorrido. As atividades no local foram suspensas após a morte da aluna.

 

“É com grande pesar que a direção comunica aos alunos que nesta quarta-feira, 28/06, academia não irá funcionar, em memória do falecimento de uma aluna. A direção agradece a compreensão de todos”, diz a nota.

 

Conforme o Cicom, o corpo da mulher foi encaminhado para o Departamento de Polícia Ténica (DPT) e o caso será investigado pela 11ª Delegacia de Tancredo Neves.

 

Amigos utilizaram as redes sociais para lamentar a morte da jovem. “Fica a saudade e a lembraça do abraço apertado que você me deu quando nos encontramos. Que tristeza sem tamanho e o meu amor eterno!!!”, diz trecho de uma das mensagens postadas por uma colega.

 

G1.COM