Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 09/06/2017

Para amenizar a ansiedade, gestantes conhecem a estrutura de uma maternidade

A barriga de sete meses de gestação mostra que Sara de Jesus, 22 anos, está perto de dar à luz. Com a proximidade do parto, a ansiedade é cada vez maior. A vontade é ter Pedro Hyan em seus braças e ver que está tudo perfeito. Como será o parto, a acolhida e o que levar para a maternidade são dúvidas comuns entre as gestantes.

 

Para amenizar os medos e fazer com que o parto não seja traumático, um grupo de gestantes, acompanhadas na Unidade de Saúde da Família (USF) Homero Figueiredo, tiveram a oportunidade de conhecer as instalações de uma maternidade, na manhã desta sexta-feira, 9. Elas foram levadas para o Hospital Inácia Pinto dos Santos, o Hospital da Mulher, que é referência no município.

 

Fernanda Francisco Pereira, 37, vai ser mãe pela segunda vez, após onze anos. Ela diz que está tranquila. Mas, confessa que no seu primeiro parto foi difícil controlar a ansiedade e o medo. “Era tudo novidade para mim. A insegurança foi uma grande barreira que tive que lidar até o momento do parto”, lembra.

 

A iniciativa foi uma parceria entre a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Escola Estadual de Saúde Pública e a Fundação Hospitalar de Feira de Santana. “O objetivo é estruturar a Rede Cegonha, cumprindo a diretriz da acessibilidade da gestante à unidade hospitalar”, afirmou a coordenadora de enfermagem do Hospital da Mulher, Alessandra Braga.

 

A ideia é contemplar todas as gestantes assistidas unidades de saúde do município, através de mapeamento. A coordenadora do curso de Especialização em Enfermagem Obstétrica da Escola Pública, Taís Carneiro, pontua que as gestantes precisam sentir seguras no momento do parto, “para que as funções fisiológicas e emocionais do parto aconteçam de forma feliz”. Estudantes do curso Enfermagem Obstétrica cumprem estágio nas unidades de saúde do município.

 

Secom