Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 02/03/2017

Páscoa cria mais de 470 vagas na Bahia; pelo menos quatro empresas recebem currículos

Ainda faltam dois meses para a Páscoa, mas o mercado de chocolates já começou a aquecer e as empresas estão recrutando trabalhadores para vagas temporárias. Segundo a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados (Abicab) serão cerca de 25 mil empregos temporários abertos em todo o país.

 

Na Bahia, pelo menos quatro empresas estão recebendo currículo. A rede de chocolates Cacau Show espera contratar 250 profissionais em todo o estado. Só em Salvador serão pelo menos 110 vagas. Com 2.060 lojas distribuídas em todo o país, a empresa produzirá cerca de 8,5 mil toneladas de chocolate e prevê crescimento de 14% nas vagas durante o período de Páscoa.

 

A agência de marketing Action BR Merchandising oferece cem vagas para a capital. Os pré-requisitos são boa dicção, facilidade de comunicação, experiência em ações temporárias de Páscoa, reposição, precificação, montagem de ilhas e parreiras.

 

Para concorrer à vaga, o interessado deve se candidatar à oportunidade no site www.vagas.com.br até hoje. Em Salvador e no interior, a empresa de alimentos Nestlé também já começou o processo de seleção. A transnacional declara que pelo menos três mil postos temporários serão implantados no país. Os números para a Bahia não foram divulgados.

 

Efetivação

 

De acordo com Rosana de Andrade Neves, que recruta funcionários provisórios para a Nestlé em Vitória da Conquista, empresas de grande porte terceirizam a mão de obra em períodos sazonais como a Páscoa, mas caso o funcionário tenha um bom desempenho, “há chances de ser efetivado”. Veja dicas abaixo:

 

Dicas para ser efetivado após o fim do contrato temporário

 

Na hora de enviar o currículo É importante manter o currículo sempre atualizado e as informações devem ser objetivas e bem organizadas. O documento não deve ser longo e precisa listar as experiências mais recentes, dando preferência às que tenham relação com a área desejada.

 

No processo seletivo – É preciso ter uma boa apresentação. Se portar de forma educada e se expressar verbalmente sem gírias e termos coloquiais. Além disso, é necessário mostrar, com experiências e argumentos, por que o profissional é ideal para aquela vaga.

 

No emprego provisório – Responsabilidade, cuidado com o material no qual está trabalhando, frequência e boa abordagem aos clientes é fundamental. Essa também é uma boa oportunidade para ter contato com pessoas da concorrência e manter uma boa relação com elas, respeitando o espaço do outro. No futuro, talvez a empresa concorrente esteja com uma oportunidade aberta, afinal, em empregos provisórios, muitas vezes o trabalhador é terceirizado e precisa atuar em diferentes organizações.

 

Além disso, a função sempre é supervisionada por profissionais já contratados que indicam quem tem bom desempenho em caso de vagas para efetivação.

 

Ao fim do contrato provisório – Além de manter o currículo atualizado, é relevante que o trabalhador crie uma rede de contatos em que conserve o bom relacionamento.

 

Funcionários da empresa para a qual trabalhou, quem terceirizava e concorrentes podem ser decisivos na hora de se bater o martelo na hora da contratação.

 

Caso seja efetivado – Manter a mesma postura que o fez conquistar a vaga e se adaptar às novas regras. Também é importante se capacitar, investindo em formação na área. Quando efetivado, há a possibilidade de uma promoção e conquista o posto quem apresenta bom desempenho na função.

 

As informações são do Correio.