Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 01/09/2014

Pastor defende que todo cristão deveria andar armado

650x433xfamilia-armada.jpg.pagespeed.ic.nCIGdx5hoPJohn Correia (38) é o pastor da Igreja Bíblica de West Greenway, na cidade de Glendale, Arizona. Ele concilia a vocação com a carreira de instrutor de tiro. Membro da Associação Nacional de Rifles, o pastor tem quatro filhos e cada um já tem sua própria arma.

 

Ex-oficial da Marinha, John acredita que Jesus não se importa que ele carregue numa mão a Bíblia e na outra um rifle semiautomático AR-15. Na realidade, ele já pregou sobre armas de fogo várias vezes.

 

A família Correia é formada por ele, sua esposa Laura (38), e seus quatro filhos Phoenix (17) James (15), Sarah (12) e Abby (8). John conta que apenas a mais velha, Phoenix não se interessa pelo assunto. James já é “aprendiz de instrutor” e a caçula acaba de ganhar sua primeira arma, um rifle cor-de-rosa calibre 22.

 

A pequena Abby conta que seus coleguinhas a criticam quando ela conta que já tem uma arma. Na verdade, seu pai leva os filhos para caçar com frequência, e aproveita para ensiná-los a atirar, mas também a seres cuidadosos e responsáveis com o manejo das armas. Os filhos estão proibidos de pegar nas armas quando os pais não estão por perto.

 
O pastor tem 20 armas em casa, incluindo pistolas e rifles de caça. Apesar de reconhecer que a mensagem da Bíblia ensina a “oferecer a outra face”, lembra que as Escrituras falam sobre o uso da força. Ele não vê contradição entre ser pastor e defender que todo cristão deve andar armado.

 

“Gostaria que todos se dessem bem, que todo mundo fosse bom, mas essa não é a realidade. Até que cheguemos a esse mundo perfeito, quando Jesus voltar, precisamos ser capazes de nos defender. Lucas 22:36 mostra Jesus dizendo: “se não têm espada, vendam a sua capa e comprem uma”, afirma. Dizendo ser uma pessoa pacífica, cita ainda Romanos 12:18: “Façam todo o possível para viver em paz com todos” para explicar que vê as armas apenas como um instrumento de defesa. Afinal, justifica “há algumas pessoas que não desejam estar em paz com você”.

 

O pastor admite que pessoas já saíram da igreja por que ele defende o uso de armas, mas por outro lado atraiu cristãos que pensam como ele. Acostumado às críticas, afirma que aprendeu a lidar com os que questionam o seu chamado por causa disso.

 

“O rifle nas mãos de um homem bom é algo bom, um rifle nas mãos de uma pessoa ruim é algo ruim. Então, o que Deus pensa de armas? É apenas uma ferramenta”, declarou ele ao Daily Mail. Questionado o que o faria abandonar as armas, foi enfático. “Se Jesus me pedir para abrir mão das minhas armas, eu obedeceria, por que meu compromisso com Jesus vem em primeiro lugar”.

 

Gospel Prime