Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 22/08/2014

Pastor evangélico afirma ter sido impedido de orar por paciente em hospital

pastor-impedido-orar-paciente-hospital O pastor evangélico Antônio Carlos Costa e Silva, de 32 anos, afirma ter sido barrado na Santa Casa de Piracicaba (SP) ao tentar fazer uma visita para orar por uma paciente a pedido da família. Pastor da Igreja Evangélica Quadrangular, Silva afirma ter sido impedido de entrar no local quando tentava visitar uma paciente na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

 

O religioso afirma ter ido ao local a pedido da família da paciente, e afirma que por duas vezes recebeu informações vagas de que a paciente estava sendo submetida a um procedimento e que não poderia receber visitas. Segundo ele, suas tentativas de visita aconteceram às 11h15 e 16h50 da última quinta feira (14).

 

– Só me disseram isso, não falaram quanto tempo demoraria, nem nada do tipo – afirma o pastor, que só conseguiu visitar a paciente para fazer as orações após as 19h.

 

– Eu já orei por pessoas em situações muito críticas. Já presenciei médicos usando o desfibrilador em pacientes e ajudei com a minha oração. Ninguém pediu para eu me retirar, só disseram para eu fazer meu trabalho que iriam fazer o deles – completou o pastor, que afirma já ter entrado na UTI da Santa Casa várias vezes e nunca teve problemas.

 

O pastor ressalta ainda que conhece os procedimentos e horários do hospital, e que não teria tentado entrar no local para orar em um momento inoportuno para a paciente. Segundo informações do G1, o caso aconteceu apenas um mês depois de o prefeito da cidade, Gabriel Ferrato (PSDB), sancionar uma lei que garante “assistência religiosa” em hospitais públicos e particulares quando solicitada pelo paciente ou pela família.

 

– Tenho o bom senso de saber quando não é possível a pessoa receber a visita, mas nós temos a lei que garante a nossa entrada e nunca se sabe quando o paciente precisa de um pouco de Deus. Essas coisas não têm hora para acontecer – afirmou o pastor.

 

– Graças a Deus consegui fazer a oração para a jovem, mas isso não pode voltar a acontecer, nem comigo e nem com outros religiosos que vão ao hospital fazer seu trabalho e levar conforto aos pacientes – finalizou o religioso.

 

A assessoria de imprensa do hospital comentou o ocorrido afirmando que a paciente passava por um procedimento delicado durante a manhã e a tarde e não poderia receber a visita religiosa.

 

– A prioridade da Santa Casa é o paciente e por isso há normas para as visita – informou a nota, ressaltando que à noite a paciente estava estável, e pode receber a oração feita pelo pastor.

 

Gospel +