Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 30/09/2016

Pastor Saeed Abedini conta que evangelizou policial enquanto esteve preso, no Irã

02O pastor iraniano naturalizado americano, Saaed Abedini contou que evangelizou o oficial que o conduziu da prisão para o aeroporto do Irã. O missionário ficou preso por três anos e meio no país e sua história tornou-se um dos símbolos da perseguição religiosa que os cristãos sofrem em diversos países do Oriente Médio.

 

Após falar em um comício realizado em Nova York, na semana passada, o Pastor Saeed Abedini foi entrevistado pelo repórter Neil Cavuto da ‘Fox News’ e compartilhou mais detalhes sobre o processo que levou à sua libertação, em janeiro de 2016 e seu retorno para os EUA.

 

Além de Saeed, o jornalista do ‘Washington Post’, Jason Rezaian, o veterano da Marinha, Amir Hekmati e Nosratollah Khosrawi também foram libertados pelo governo do Irã em 16 de Janeiro de 2016.

 

“Quando eles nos escoltaram da prisão de Evin [Irã] para o aeroporto, nos disseram que em 20 minutos nós íamos entrar no avião e, em seguida, voaríamos para fora do país”, contou o pastor.

 

“Mas quando chegamos ao aeroporto, demoramos 20 horas até pegar o voo. Eles nos mantiveram lá e dormimos no aeroporto”.

 

Durante o tempo de atraso, Pastor Abedini sentiu-se encorajado a compartilhar o Evangelho com o homem encarregado pelo governo para escoltá-lo.

 

“Havia um guarda comigo, que estava no comando de toda a inteligência e policiamento na prisão de Evin. Eu sabia que já estava livre e não poderiam fazer nada contra mim, então eu comecei a compartilhar o evangelho com ele”, disse o pastor à Fox.

 

“Eu falei sobre a minha fé. Eu falei sobre Jesus, que Ele era Deus encarnado, que veio à terra e levou o castigo pelos nossos pecados”, acrescentou.

 

Saeed conta que a reação do guarda foi realmente de quebrantamento. O oficial decidiu entregar sua vida a Jesus.

 

“Quando eu compartilhei o Evangelho, a Boa Nova com ele, ele abriu seu coração, porque eu disse que Jesus queria entrar em seu coração, salvar sua vida e limpar todos os seus pecados”, destacou.

 

Falando sobre o tempo que passou na prisão, o pastor Saeed Abedini disse que sua fé fez a diferença durante seu confinamento.

 

“Toda vez que eles me diziam que eu seria executado e me colocavam na solitária, orava a Deus e Ele me disse por meio do Espírito Santo, que eu ainda iria testemunhar um dia, sobre o que Ele estava fazendo”, contou.

 

“Eu só podia me agarrar a Deus. Ele estava comigo naquele confinamento solitário”.

 

Pastor Abedini acredita que quaisquer que sejam as dificuldades que ele tenha sofrido na prisão, todas valeram a pena, se vistas da perspectiva da eternidade.

 

“Eu acredito que foram contabilizadas para mim no céu, todas as dores que passei. Eu acredito que todos os meus sofrimentos serão contados no céu, então eu não perdi nada”, afirmou.

 

“Eu aprendi a agarrar-me à Palavra de Deus e Suas promessas. Não se concentrei em meus próprios sentimentos ou na minha situação. Mesmo depois que iniciei o processo que me levaria à pena de morte, orei e Deus meu disse que eu ainda iria testemunhar dEle”.

 

GUIAME