Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 23/01/2016

Pela 1ª vez, turma de astronautas da Nasa tem 50% de mulheres

nicole-aunapu-mann-anne-mcclain-jessica-meir-e-christina-hammock-koch-no-johnson-space-center-da-nasa-em-houston-eua-1453477450296_615x470Mulheres astronautas flutuando no espaço não é nenhuma novidade. Mas a desigualdade de gênero em missões espaciais é algo notável. Tal fato é reflexo do desequilíbrio entre homens e mulheres na composição das equipes que se preparam para viagens ao espaço.

 

Agora, pela primeira vez na história, a turma de formação de astronautas da Nasa (agência espacial americana) é composta por igual número de mulheres e de homens.

 

Dos oito participantes do grupo formado em 2013, em seleção que envolveu mais de 6.000 candidatos, quatro são mulheres. São elas Jessica Meir, de 38 anos, Christina Hammock Koch, 37, Anne McClain, 36, e Nicole Aunapu Mann, 38. As classes de astronautas da Nasa costumam ser formadas a cada cinco anos.

 

Para ingressar na carreira em que se trabalha no espaço, é necessário diploma nos campos de ciência, tecnologia, engenharia ou matemática, mais de três anos de experiência nas áreas, condições físicas para participar dos treinamentos. Além de tudo isso, elas agregam outro atributo que fica explícito em seus currículos e que é igualmente fundamental: paixão pela ciência.

 

Para trabalhar como astronauta da Nasa, é necessário estar entre os melhores nas diferentes áreas de pesquisa e ciência. Entretanto, uma coisa elas compartilham com quase todos os outros terráqueos mortais: sonhavam desde criança em ser astronautas.

 

Presença de mulheres em profissões “extremas”
A inédita turma de astronautas da Nasa com 50% de mulheres pode ser uma consequência da quebra de barreiras de gênero em outras atividades.

 

Antes de conquistarem o sonhado trabalho, algumas galgaram postos altos em carreiras militares. Anne McClain era piloto de helicóptero do Exército dos EUA, e Nicole Mann, de avião caça do Corpo de Fuzileiros Navais. As duas serviram na linha de frente no Iraque.

 

Outras têm no currículo experiências extremas. Jessica Meir, doutora em biologia marinha, já mergulhou em águas congelantes da Antártida. Christina Koch passou um ano no Polo Sul supervisionando a aplicação de hélio líquido utilizado para refrescar poderosíssimos telescópios.

 

Segundo informações da Nasa, o grupo vai receber formação técnica em centros espaciais ao redor do mundo para se preparar para missões à órbita da Terra, um asteróide e a missão tripulada para Marte em 2030.

 

O treinamento das astronautas inclui, dentre outras atividades, voos em jatos supersônicos e mergulho em grandes profundidades. Só para chegar até Marte, a viagem levará nove meses, o que exigirá que a tripulação esteja na melhor forma física.

 

UOL NOTÍCIAS