Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 30/06/2017

Piscinas do Feira Tênis Clube serão aterradas

Considerado um dos mais importantes patrimônios sociais, culturais e esportivo da comunidade feirense, o Feira Tênis Clube já desativado há alguns anos, está sendo totalmente descaracterizado na sua estrutura física a partir desta sexta-feira (30), com o aterramento do seu parque aquático que foi símbolo de glória na natação amadora do Estado da Bahia, com a conquista de diversos títulos nos Jogos Abertos do Interior, tendo sido a cidade a maior vencedora nas edições.

 

A equipe do Jornal Folha do Estado conversou com Jean Parente Gusmão, atualmente empresário, ex-atleta e associado do Clube, que segundo ele, o último suspiro da estrutura aquática será vista pela última vez no final de junho e início de julho com todo o aterramento das piscinas. Ele, que foi um dos atletas com grande número de títulos aquáticos, diz-se decepcionado por medidas não terem sido tomadas pelo poder público municipal, anteriormente.

A área aterrada será utilizada para estacionamento, se agregando ao campo de futebol e às quadras de tênis, que já estão sendo utilizadas para este fim. A prefeitura de Feira perdeu uma grande oportunidade quando no governo do prefeito Tarcízio Pimenta editou um decreto de interesse público do município, daquela área a inobservância ensejou a caducidade do prazo que era de dois anos.

 

Com a falta de lei aprovada na Câmara de Vereadores e sem reedição de decreto do município, a área foi penhorada pela Justiça do Trabalho para dar cobertura a processos trabalhistas, foi aí então que o clube foi a leilão e arrematadado por míseros R$ 1 milhão, porém a estimativa é que hoje a área tenha valor estimado de R$ 30 milhões. O arremate se deu em 12 de setembro de 2013, por um empresário de Santo Antônio de Jesus por R$ 1,6 milhão.

 

O Clube foi criado em 1944, sempre se destacou como uma das maiores e melhores instituições sociais, culturais, esportivas do estado. Localizado em uma área bem privilegiada da cidade, o mesmo se tornou um complexo de lazer urbano, oferecendo aos seus associados e a comunidade de um modo geral uma estrutura completa de serviços. Da estrutura civil anterior restam apenas a sede do clube social e o Ginásio de Esportes Péricles Valadares.

 

“Realmente, a comunidade feirense deveria ter ciência da importância do Tênis Clube. Um espaço que poderia servir de um centro de referência para as crianças de escolas públicas praticarem esportes e até mesmo a comunidade idosa, como forma de interação e lazer. O poder público não poderia ficar omisso”, fala indignado Jean.

 

HISTÓRIA

 

Fundado em dezembro de 1944, o Feira Tênis Clube – que era conhecido como “FTC” (lê-se “fe-te-cê”, e não “efe-te-cê”) – já não existe mais enquanto centro de entretenimento em Feira de Santana. O clube, que foi arrematado em leilão por 1,6 milhões de reais em 2013, para dá lugar a um estacionamento privado, possuía 15 mil metros quadrados de piscinas, área de show, ginásio de esportes, salão de festas e outras áreas que eram frequentadas principalmente pelas elites feirenses de meados do século XX até o início do ano 2000.

 

Em um recorte do Jornal Folha do Norte, de março 1958, nota-se como o Feira Tênis Clube era um ambiente prestigiado pelo colunismo social:

 

“Vocês já notaram como estão animadas as matinées do Feira Tênis Clube? Viram que quantidade de brotos hornamentavam os salvês do mais Aristocrático? Viram o interesse de Agnelo Portugal em dansar com a senhorita Norma Simões? Repararam que o Rui Caribé permaneceu todo o tempo sentado, não dando continuidade ao seu caso amoroso? Vocês notaram o modêlo Sputinik adquirido na “Rosatex” pela beldade Mirian Ferreira? Se por acaso não viram ou não notaram tudo isto creio que não passou desapercebido a beleza, a elegância e a simplicidade das garotas Ana Maria Alburquerque (côr de jambo), Claúdia Fernandes (com seu belo perfil), Simone Pitombo (com sua elegância), Paula Quesedo (a la Cearense), Sônia Menezes (com sua juventude), e muitas outras coisas. Hoje, à noite, estarei acontecendo na festa de Carminha Mascarenhas”.

 

O clube protagonizou grandes festas com shows envolvendo os grandes nomes da música nacional, além dos grandes bailes de Micareta e o seu tradicional bloco que todos os anos dava um colorido diferente nas ruas e avenidas de Feira, durante a principal festa da Princesa do Sertão.

 

Entre os eventos ocorridos “no Tênis”, um destaques era “Uma noite no Hawaii”, realizado sempre nos Sábados de Aleluia, cerca de 15 dias, antes da Micareta de Feira de Santana. Além disso, a “Boate do Guaraná” marcou época nos finais das tardes de domingo, notadamente nas décadas de 70 e 80.

 

No campo esportivo, o Feira Tênis Clube ao longo dos anos se transformou numa verdadeira “universidade” formando atletas para diversos seguimentos como Basquete, Vôlei, Natação dentre outros, tendo participações de destaque a nível nacional, com a convocação dos seus atletas para seleções estaduais e nacionais de diversas modalidade. Foi considerado também como o “berço” dos Jogos Abertos do Interior, uma grande competição estadual que até hoje é disputada envolvendo atletas amadores de diversos munícipios que tinha a integração entre as cidades como o grande objetivo. Algumas modalidades ganharam notoriedade como o Pólo Aquático e atualmente, mesmo com todas as dificuldades a prática esportiva continuava em evidência por conta de atletas veteranos que continuavam treinando no parque aquático para competições que participam com muitas dificuldades.

 

Folha do Estado e fotos de Reginaldo Perreira (Arquivo)