Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 09/05/2017

Por que a gordura da barriga é diferente e pior do que as outras?

Para que o organismo funcione corretamente e o sistema imunitário seja capaz de fazer frente a todo o tipo de agentes agressores é preciso que o corpo humano tenha alguma reserva de gordura.

 
Contudo, quando ela se encontra em excesso, os riscos são muitos e existe um tipo que pode ser verdadeiramente penoso para a saúde. Falamos da gordura visceral, bem mais perigosa para a saúde do que a gordura subcutânea, aquela que se encontra debaixo da pele e que pode ser apalpada (sim, o pneuzinho que tanto chateia e teima em não desaparecer).

 

Como explica o site da revista Health, a gordura visceral se encontra no interior da barriga, mais precisamente à volta dos órgãos e debaixo dos músculos do abdominal, não sendo, por isso, palpável. Mas, por que é que este tipo de gordura é diferente e pior? Porque estimula a criação e libertação de citocina, uma proteína que interfere com a função de várias células e que, por exemplo, afeta a produção de insulina. Mas não só.

 

A gordura visceral, aquela que faz com que a barriga cresça consideravelmente em casos de excesso de peso, é ainda uma das principais desencadeadoras de processos inflamatórios no corpo, deixando-o sempre em estado de stress e à mercê das respostas inesperadas do sistema imunitário.

 

A revista diz, ainda, que a gordura visceral interfere em grande escala com a saúde do fígado, uma vez que impede que as suas células tenham ‘consciência’ dos níveis de insulina presentes, o que pode causar um aumento da pressão sanguínea e ainda desencadear o aparecimento de diabetes tipo 2.

 

A melhor forma de prevenir ou combater esta gordura – que tende a aumentar com o avançar da idade – é através de um estilo de vida saudável, pautado pela alimentação variada e equilibrada (e sem produtos industrializados ou ricos em açúcar e gorduras trans) e pela prática de exercício físico.

 

NOTÍCIAS AO MINUTO