Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 28/07/2017

Posso crer no Amanhã: Zagueiro da Chapecoense lança livro

O zagueiro Neto, um dos sobreviventes do acidente que envolveu a equipe do time catarinense Chapecoense, está preparando o lançamento de um livro, chamado Posso Crer no Amanhã.

 

Evangélico, o jogador participou do programa Encontro com Fátima Bernardes e contou sobre os ditos milagres que viveu em sua vida antes do acidente que vitimou vários atletas, jornalistas e o técnico Caio Júnior.

 

“O livro conta mais ou menos a minha história, o que Deus fez na minha história. Foram muitos milagres que aconteceram na minha vida, inclusive acho que os meus filhos – eu acho, não, tenho certeza – são dois milagres”, afirmou.

 

“Minha esposa teve um casal de gêmeos com um ovário só, porque em um ela teve um tumor, perdeu e já estava perdendo o outro ovário com um cisto e conseguiu engravidar de gêmeos”, disse.

 

A mudança em sua vida, segundo ele, se deu após sua conversão religiosa. “Depois que eu comecei a entregar a minha vida para Deus mesmo, descansar Nele, saber que Jesus Cristo está no controle de todas as coisas, eu pude tirar todo o fardo pesado que a vida coloca na gente”.

 

Depois do acidente, Neto disse que passou a falar de sua fé com maior frequência. “Esse acidente, por Deus permitir que eu estivesse vivo aqui, mais uma vez, para falar um pouco mais Dele, também. Eu tenho sempre que falar tudo Dele, porque eu não tenho mérito nenhum de estar aqui”.

 

O atleta ainda disse que chegou a ter um sonho negativo que previa a queda do avião. Mas o jogador afirma ter repreendido o pesadelo, e também vivido outras histórias relacionadas a sonhos.

 

“Eu tive dois sonhos que marcaram muito a minha vida. Primeiro, eu tive o sonho que eu estava no céu e eu via Deus. Eu subia como se fosse em um elevador e quando a porta se abria, Deus me falava assim: ‘Meu filho, te esperei muito tempo aqui’. Eu chorava demais de alegria e falava: ‘Eu não sou merecedor de estar aqui, Deus”, acrescentou o jogador.

 

“Depois eu tive o sonho que eu caía do avião e ficava vivo… um pesadelo. Eu contei para ela. Mas ela não quis ouvir no dia”, afirmou.

 

Ele fala da relação de sua fé e a inevitabilidade de ocorrências negativas. “Tem coisas que acontecem na nossa vida… e como eu sou um cara cristão, procuro confiar. Tem coisas que eu não vou entender”.

 

“Talvez um dia, quando eu morrer, Deus abra o jogo comigo e me explique, mas hoje eu não vou entender, porque eu sou limitado. Eu sou mais um ser humano que está de passagem por aqui. Este é um lugar temporário”, afirmou.

 

“Então, aconteceram algumas coisas na minha vida que ficou claro que era para acontecer o pior, porque Deus estava no controle e hoje eu entendo isso”, finalizou o atleta.

 

GOSPEL PRIME