Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 04/06/2015

Prefeitura vai usar aplicativo de celular para identificar entulho e lixo nas ruas

362015154107A Prefeitura de Feira de Santana vai usar tecnologia para combater o descarte inadequado de lixo e entulho nas ruas. Através do aplicativo para celular WhatsApp o feirense poderá denunciar este tipo de irregularidade diretamente à Secretaria Municipal de Serviços Público, com mais agilidade e precisão.

 

“Queremos o apoio da população para que ao identificar uma situação como essa, possa fotografar ou ligar para a Sesp pelo telefone 3602-8100 ou através do WhatsApp 9833-2325, mandando vídeo ou imagens”, destaca o secretário Justiniano França.Coletiva Sobre Descarte de Lixo e Entulho-fotos Jorge Magalh_es (34)

O valor da multa aos infratores poderá chegar a R$ 160, podendo dobrar em caso de reincidência. Em coletiva à imprensa na manhã desta quarta-feira, 3, o secretário Justiniano França informou que o município irá buscar todo mecanismo legal para impedir o descarte irregular de resíduos.

 

De acordo com o secretário, a Sesp fará a fiscalização com os geradores e também com os transportadores dos resíduos. “O local adequado para o destino de entulho de construção civil ou qualquer tipo de resíduo que seja considerado lixo, é no aterro sanitário. Os carroceiros também têm contribuído para a grande quantidade de entulho jogado de forma aleatória na cidade”, acentua.

 

Ele ressaltou ainda que primeiro será feita a fiscalização e notificação. Caso o material permaneça no local será cobrada a multa. “No segundo momento a gente faz a retirada do material. Então o município fará a pesagem no aterro e o custo dessa operação será colocado na dívida ativa do município para as empresas geradoras dos resíduos pagar. Existe a Lei de Resíduo da Construção Civil e o Código de Política Administrativa do Município, justamente para esse tipo de infração”, salienta.

 

“Já nos reunimos com o diretor de Limpeza Pública, verificando alguns locais na cidade para que o pequeno gerador possa colocar resíduo de construção civil”, disse Justiniano França.