Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 05/05/2016

Princesa Elsa pode virar primeira princesa lésbica da Disney

af7b0033-5c54-4703-8aa9-1e25042fc0b2

A princesa Elsa, do filme Frozen, pode virar a primeira princesa lésbica da Disney. O blog norte-americano Feminist Culture criou uma campanha que tem gerado polêmica nas redes sociais. Usando a hashtag #GiveElsaAGirlfriend (#DêUmaNamoradaParaElsa), a iniciativa tenta transformar a princesa do filme Frozen- Uma Aventura Congelante, na primeira princesa lésbica da história dos desenhos animados. A ação tem grande repercussão no Twitter.

 

A campanha teve inicio depois que uma pesquisa do grupo Gay and Lesbian Alliance Against Defamation sobre inclusão LGBT nos filmes de Hollywood revelou que dos 126 filmes lançados em 2015 pelos sete principais estúdios, apenas 17,5% incluíam personagens homossexuais.

 
Baseado nisso, o Feminist Culture alega que, ao contrário de outras personagens, a Elsa não precisou de nenhum homem para defendê-la e a canção “Let It Go” da cantora pop Demi Lovato, música tema da princesa, virou hit na comunidade LGBT por fazer referência à liberdade. A música virou uma espécie de hino gay entre jovens e adolescentes.

 
A assessoria da Disney no Brasil ainda não declarou seu posicionamento sobre o assunto, mas desde 2014, em entrevista a um veículo da Califórnia, a executiva da empresa de entretenimento, Ellen Etheridge, não descarta a possibilidade de ter um personagem homossexual. “Tentamos diversificar nossas personagens femininas ao longo dos anos e percorremos um longo caminho desde a princesa de ‘A Bela Adormecida’. Pensamos em personagens femininos fortes para que as crianças possam admirar. Criamos uma princesa negra há alguns anos e queremos abrir novos caminhos”, disse Ellen.
A possibilidade da discussão de novos arranjos familiares na animação de um dos maiores estúdios do planeta empolgou a cantora Daniela Mercury, casada com a jornalista Malu Verçosa desde 2013. Em entrevistas recentes, Daniela diz que ficou extremamente feliz com a notícia da possibilidade de transformar a Elsa em um ícone LGBT.

 

 
Daniela e Malu fazem parte da campanha global ‘Livres & Iguais’, que tem por objetivo aumentar a conscientização sobre a violência e a discriminação homofóbica e transfóbica e promover um maior respeito pelos direitos das pessoas LGBT. A cantora disse que pediu que o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moonfizesse uma campanha em Hollywood, junto aos produtores cinematográficos, pedindo que refletissem sobre a importância da inclusão das famílias LGBT na sua dramaturgia, nos desenhos animados, para que a diversidade humana fosse contemplada e naturalizada.

 

 
O segundo filme com Elsa como protagonista tem previsão de estreia para janeiro de 2018. Importante ressaltar que há especulações de que na continuação do filme Elsa e Jack Frost, do filme A Origem dos Guardiões, teriam um envolvimento maior.

 

 
A TARDE