Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 07/08/2017

Procura pela vacina contra o HPV é considerada baixa

Embora faça parte do calendário de rotina do adolescente, a procura pela vacina HPV (Papiloma Vírus Humanos), que protege as meninas contra o câncer de colo uterino e os meninos contra o câncer de pênis, além de outras lesões genitais, é considerada baixa nas unidades municipais de saúde – UBS (Unidade Básica de Saúde) e USF (Unidade de Saúde da Família).

 

A observação é do enfermeiro do Programa de Imunização, da Secretaria Municipal de Saúde, Carlos Henrique Valverde. De acordo com ele, a previsão da SMS é que sejam vacinados dois mil adolescentes, por mês. Contudo, a média mensal de imunizados, no período, é de mil adolescentes.

 

“É importante que os pais levem os adolescentes em uma das unidades de saúde para que eles sejam vacinados”, afirma. Ele acrescenta que as unidades de saúde têm realizado algumas estratégias para atrair o público alvo, a exemplo de salas de espera, palestras nas escolas e orientações aos pais.

 

Para ter acesso à vacina basta apresentar o cartão de vacinação e um documento de identificação. O imunizante é para meninos na faixa etária de 11 a 14 anos (14 anos, 11 meses e 29 dias) e meninas com idades de 9 a 14 anos. Esta é uma doença sexualmente transmissível que pode se transformar numa doença mais agressiva.

 

“Os homens ao receber a vacina, além de garantir a sua prevenção contra o câncer de pênis, eles estão colaborando para reduzir a incidência do câncer de colo de útero e vulva nas mulheres, uma vez que a transmissão acontece na relação sexual”, afirma o enfermeiro.

 

A vacina contra o HPV previne contra os vírus dos tipos 6, 11, 16 e 18. O esquema vacinal é de duas doses com intervalo de seis meses de uma pra outra. Portadores do vírus HIV com idades entre 9 a 26 anos também fazem parte do grupo prioritário.

 

Portal Cidade Gospel