Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 14/03/2018

Quadrinhos mostram Superman ensinando valores cristãos ao filho

Os fãs de Superman costumam salientar os pontos parecidos do personagem com Jesus. Ambos não são do planeta terra, mas vieram para “salvar o mundo”. Mas, algo intrigante está fazendo com que os leitores de quadrinhos comentem mais sobre a nova fase de Clark Kent.

 

Sabe-se que o jovem Clark, que chegou em Smallville por meio de uma nave, teve grandes influências de seus pais terrenos, o casal de fazendeiros Jonathan e Martha Kent. Tais influências ajudaram a construir um caráter cristão do “superboy”, pois seus pais eram protestantes.

 

Esse caráter fez com que Superman mantivesse uma de suas maiores características, a de não matar pessoas por motivos banais. É possível perceber isso pelos episódios do seriado Smallville, onde sua personalidade é bastante desenvolvida em cada episódio, por abordar justamente sua adolescência e sua relação com os Kent.

 

Mas, agora na atual série de quadrinhos chamada “Rebirth”, ele passa a ensinar seu filho Jon sobre diversas coisas uma dela é sobre religião. O garoto é fruto de sua relação com Lois Lane e seu nome é uma homenagem ao avô, Jonathan Kent, que morre ainda na fase adolescente de Clark.

 

Uma das características que sempre acompanhou o personagem foi que ele e seus pais eram uma família protestante. Uma forte evidência disso é que ele considera o deus kryptoniano Rao por outro nome para não se referir ao deus judaico cristão. Tal fato é apresentado em diversas edições da HQ e até mesmo em suas primeiras histórias.

 

Mas, os novos leitores de Superman estão se queixando dessa característica. Ao que parece, a nova geração de fãs esta achando isso bastante “provocativo”.

 

Apesar de “Rebirth” ter boas vendas e ganhado elogios pelo novo enredo, mais pelo fato do personagem ter voltado a moralidade clássica ao invés da versão revoltada anterior, uma das coisas que agora costumam aparecer são os seus valores morais.

 

Em 2013, o diretor Zack Snyder explicou um pouco sobre essa personalidade, durante o lançamento de O Homem de Aço. “A relação entre Jesus Cristo e do Super-homem não foi inventada por nós. Existe desde a criação do personagem. Mas é uma dessas coisas que desapareceram nas últimas décadas. Eu achei que deveríamos voltar a falar disso e sua relevância para o momento”, colocou.

 

Publicada no Brasil em fevereiro, as novas edições geraram certa polêmica em fóruns de discussão. Já nos EUA, os fãs americanos acusaram o Super-homem de ser um “símbolo da extrema direita” e que esse tipo de “doutrinação na juventude deveria ser ultrapassada”.

 

Um internauta brasileiro comentou no forum “Outer Space”: Cara, acho incrível isso. Não são fãs de longa data do personagem esses que reclamam. Fãs – como eu – sabem que faz parte da criação ‘humana’ dele. E que nunca trouxe problemas. Mas, a vontade de aparecer em polêmicas é maior que tudo”, ressaltou.

 

 

GUIAME