Coluna Especial

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 29/09/2016

Qual é a identidade da Falsa Igreja de Cristo?

02A Igreja terá uma forte concorrente, o nome daquela Igreja será Babilônia, também chamada de Meretriz, título que mereceu por se oferecer a a todos que passavam em suas calçadas. Começou como uma semente de mostarda e se transformou em uma grande árvore, capaz de fornecer espaço em seus galhos para todo tipo de ave impura. “E ele bradou com voz poderosa: “Caiu! Caiu a grande Babilônia! Ela se tornou habitação de demônios e antro de todo espírito imundo, antro de toda ave impura e detestável,” Apocalipse 18:2.

 

Assim como o Egito oferecia proteção para Israel, Babilônia seduzirá a Igreja e lhe oferecerá um guarda chuvas, que segundo ela, lhe protegerá das intempéries políticas, econômicas e religiosas. No entanto, todos os que estiverem abrigados em seus braços cairão, juntamente com ela.

 

A verdadeira Igreja saberá discernir a malignidade desta aliança e a rejeitará. O Corpo de Cristo será decepado deste grupo. Essa aberração religiosa usará o nome de Noiva de Cristo, apresentará ao mundo um falso Cristo, emprestando nome de nosso Senhor para instituições religiosas miscigenadas. Seu objetivo é tornar o seu pacote religioso mais atraente.

 

Ainda há um remanescente e dediquei lhe dediquei 18 anos do meu ministério. Em contato com pastores e suas comunidades que ficaram dentro de algumas destas denominações, conseguimos construir, juntamente com muitos deles, algo realmente digno da nossa chamada cristã. Entre eles estão tradicionais, pentecostais, neopentecostais, independentes e outras coisas mais.

 

Já participei, como palestrante, de alguns congressos, cafés e encontros de pastores, onde encontrei gente disposta a obedecer a Deus e a sua palavra. Percebi que os neopentecostais são os mais resistentes, mas há gloriosas excessões.

 

Este povo logo reconstruirá o Corpo de Cristo. Sairão dela, “da grande prostituta” como ordena o Apocalipse 18 (sai dela povo meu) e reconstruirão o Corpo de Cristo, indivisível, a partir do que restar dele.

 

Talvez esteja aqui o motivo pelo qual, os judeus, mesmo enquanto estavam no Egito, precisavam comer o cordeiro sacrificado inteirinho, não apenas alguns pedaços (Batista, presbiteriano, etc). A Igreja é uma só, o cordeiro é um só o Reino de Deus também.

 

Vamos fazer o que Deus mandou: cajado na mão e sandália no pé. Há o momento e o motivo corretos para fazer isso.

 

Muitos grupos se precipitaram e foram movidos pelos motivos errados. Esses não reconstruirão o Corpo, apenas o dividirão ainda mais.

 

Não se costura roupa nova usando remendos velhos como mágoa, ressentimento, decepção. Isso só espalhará ainda mais as dores do Corpo.

 

GUIAME