Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 29/05/2018

Rachel Sheherazade se opõe à greve dos caminhoneiros por temer “colapso econômico”

A jornalista Rachel Sheherazade foi mais uma a sair em oposição à greve dos caminhoneiros por causa dos efeitos colaterais que o movimento vem causando à população, e argumentou que o movimento pode levar o país a um “colapso econômico”.

 

Sheherazade ficou nacionalmente conhecida por seus comentários contundentes e, em geral, considerados conservadores, contra a violência e corrupção generalizada na política. No vídeo sobre a greve dos caminhoneiros, divulgado em sua página no Facebook, a opinião da jornalista do SBT abrangeu diversas questões que podem ser influenciadas pela greve.

“Pneus queimados, estradas bloqueadas, direito de ir e vir cassado, filas nos postos de abastecimento, aeroportos sitiados, prateleiras de supermercados desguarnecidas… começa a faltar remédios nas farmácias, e até mesmo a indústria ameaça parar por falta de insumos, e eu me pergunto: o que querem os caminhoneiros com essa greve absurda? Parar o Brasil”, disse a jornalista.

 

Segundo Rachel Sheherazade, o tom usado pelos caminhoneiros na greve é de “arrogância, irresponsabilidade”. “Plantando o caos, o que eles esperam colher? Falência do país, ou a gênese de um novo modelo venezuelano de caos econômico, social? Não é isso que querem os brasileiros, ou pelo menos, a maioria silenciosa que assiste atônita ao descalabro dessa greve”, acrescentou.

 

Concordando que o preço dos combustíveis e a carga de impostos no Brasil fogem ao razoável, Sheherazade pondera que parte do aumento é resultado do preço do petróleo nas bolsas de valores: “É justa a reivindicação do setor? Não podemos negar. É indigesta a nova alta do valor dos combustíveis? Certamente que sim. Mas é também efeito de uma variação internacional de preços”, argumentou.

 

“A quem interessa um novo colapso econômico, hein? Quem está por trás dos líderes dessa greve que nos obriga, a todos, a paralisar nossas próprias vidas. Quem tiver olhos para ver, que veja. Quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça. Eis renascida a velha manobra do ‘quanto pior, melhor’. Essa estratégia do absurdo diz que é preciso quebrar o Brasil, deixar nosso país à beira do abismo, para que surja aí, como um milagre dos céus, um salvador da pátria”, teorizou, no vídeo com 12 milhões de visualizações.

 

“Eleições à vista, não faltam apoiadores, políticos, dessa sandice populista. Depois de tantas mentiras, tantos mitos, tantas marmeladas, promessas fáceis e soluções simples, não me seduzem nem me enganam mais”, concluiu.

 

Gospel +