Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/01/2015

Reality show causa polêmica por promover “cura gay” nos Estados Unidos

reality-show-homossexuais-cura-gay-e1421022471647Um reality show intitulado “My Husband’s Not Gay” (Meu Marido Não É Gay, em tradução livre) tem causado polêmica nos Estados Unidos por promover a “cura gay”. Exibido no último domingo (11) pelo canal TLC, o programa se tornou alvo de uma série de críticas antes mesmo de ir ao ar.

 

O tema central do programa é mostrar quatro homens mórmons que dizem sentir atração por outros homens, mas que só se relacionam com mulheres, “comprovando” a hipótese de que a homossexualidade é uma escolha.

 

Uma das organizações a se manifestarem contra a exibição do programa é a Glaad (sigla em inglês para Aliança Gay & Lésbica Contra a Difamação) que, insatisfeita com a proposta da atração, começou a pedir que ela fosse cancelada antes mesmo de ir ao ar.

 

– O show é completamente irresponsável. Ninguém pode mudar o desejo sexual do outro e, mais importante, nem deve tentar fazer isso. Ao investir nesse reality, o TLC prejudica e machuca dezenas de jovens da comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros) – afirmou Sarah Kate Ellis, presidente da Glaad, no site da entidade.

 

Segundo o portal UOL, My Husband’s Not Gay traz o depoimento de Curtis, Jeff e Pret, três homens casados com mulheres, e Tom, que é solteiro. Estes homens compartilham com os telespectadores do programa sua confusa afetividade: eles confessam sentir atração por homens e mulheres. Ao longo do programa, Tom, que é solteiro, até tenta sair com uma moça, mas expõe a ela o desejo que sente por homens. As mulheres dos outros três participantes mostram compaixão pelos parceiros.

 

– Eu não gosto quando alguém me diz que meu marido é gay – relata Tanya, mulher de Jeff.

 

Outro tema abordado no reality show é a religião, visto que todos os participantes são mórmons e afirmam que a doutrina da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias rejeita homossexuais. Segundo eles, essa situação os deixa ainda mais confusos sobre qual deve ser a postura correta a ser assumida em relação à orientação sexual.