Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 25/03/2015

Religiões afro farão ato contra Gladiadores do Altar

unnamed (2)O grupo Gladiadores do Altar, da Igreja Universal do Reino de Deus, já foi vítima de calúnias por parte do movimento gay – que comparou os jovens aspirantes a pastores com os terroristas do Estado Islâmico – e agora enfrentarão um protesto realizado por membros de religiões afro-brasileiras.

 

Representantes da Umbanda e do Candomblé farão uma manifestação em seis estados brasileiros pedindo que o Ministério Público investigue o grupo. O motivo: eles temem que os aspirantes sejam treinados para invadir centros espíritas e terreiros.

 

“Sabemos do histórico de perseguições e violência contra centros espíritas e integrantes de religiões afro-brasileiras, praticadas por membros da Igreja Universal em todo país”, disse o advogado Luiz Fernando Martins da Silva que elaborou o pedido encaminhado ao Ministério Público Federal.

 

Os Gladiadores do Altar ganharam destaque na imprensa pelos vídeos publicados na internet onde os jovens aparecem vestidos de uniforme verde-militar com postura de soldados e batendo continência.
A assessoria da Igreja Universal já esclareceu à imprensa que não se trata de um grupo terrorista e nem de jovens que estão sendo treinados para matar homossexuais ou invadir templos de outras religiões.
A IURD já disse também que apesar de se posicionarem como soldados, não se trata de um grupo militar e que as apresentações foram ensaias para festividades e ocasiões especiais.

 

“Seus membros são voluntários da Força Jovem Universal, programa social que conta com milhões de jovens em todo o Brasil e em outros países e que desenvolve atividades culturais, sociais e esportivas para auxiliar no resgate e amparo de populações de rua, viciados, jovens carentes e em conflito com lei”, diz a nota da igreja.

 

Entre as atividades desses jovens está a promoção de campanhas de doação de sangue, doação de alimentos e roupas para comunidades carentes, além da preparação e divulgação de cursos profissionalizantes que serão oferecidos para jovens carentes.

 

“A disciplina que o projeto Gladiadores oferece aos seus membros é apenas aquela espiritual”, diz a nota. Os jovens não são treinados a agir com violência, tanto é que as comparações feitas foram repudiadas pela igreja.

 

Com informações O Dia