Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/03/2017

Saiba quais são as mudanças no Enem 2017

Uma séria de mudanças na aplicação das provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) foi anunciada na última quarta-feira (9) pelo MEC (Ministério da Educação).

 

Desde 2009, o Enem vinha sendo realizado em um único fim de semana. Neste ano, as provas serão realizadas em dois domingos consecutivos, nos dias 5 e 12 de novembro.

 

O edital está previsto para ser divulgado no dia 10 de abril e as inscrições serão entre os dias 8 e 19 de maio. Os resultados do Enem 2017 serão divulgados em 19 de janeiro de 2018.

 

O UOL fez um resumo das demais modificações. Confira:

 

Fim do Enem por escola

 

O MEC ainda anunciou que deixará de divulgar os dados do Enem por escola, ou seja, não serão mais informados as notas e o desempenho por escola do exame.

 

“Essa é uma reivindicação antiga de especialistas, de que o Enem não foi criado para fazer avaliação da escola. Ele é um dos indicadores da qualidade da escola, mas não pode ser visto como forma de avaliação da escola”, afirmou Fini.

 

Cadernos de prova serão personalizados

 

Antes, os participantes recebiam o cartão de resposta separado da prova e precisavam fazer uma identificação de acordo com a cor da sua prova. Agora, os candidatos receberão cadernos de questões personalizados, com identificação de nome a número de inscrição, juntamente com os cartões de resposta –encartados dentro da própria prova.

 

“O candidato não mais terá que transcrever na sua prova a cor dela, embora a gente vá ter de novo os quatro modelos de prova, com quatro cores”, explicou Fini. A medida, segundo o MEC, trará mais segurança para a realização do exame.

 

Redação no primeiro dia de prova

 

Antes realizada no segundo dia do Enem, a redação passará a ser realizada no primeiro dia do exame, juntamente com as provas de linguagem, código e suas tecnologias e ciências humanas e suas tecnologias, com duração de 5 horas e 30 minutos. No segundo dia, serão realizadas as provas de matemática e ciências da natureza e suas tecnologias, com 4 horas e 30 minutos de duração.

 

Isenção da taxa de inscrição será verificada via CadÚnico

 

Candidatos que fizerem o pedido da gratuidade do exame, que antes era obtida via autodeclaração de baixa renda, agora terão seus cadastros no CadÚnico, um banco de dados do Governo Federal, analisados para conferência da veracidade dessas informações.

 

“Se comprovada a inveracidade desses dados, ele poderá perder esse benefício”, afirmou a presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) Maria Inês Fini. Segundo ela, uma portaria esclarecendo os critérios dessa avaliação será publicada em breve.

 

Caso falte a um dos dias do Enem, aluno com benefício da gratuidade deverá apresentar atestado

 

Se um candidato que tenha o benefício da isenção da taxa de inscrição faltar em um dos dias de prova e não apresentar justificativa, como atestado médico, ele poderá perder a gratuidade no ano seguinte. Segundo o ministro da Educação, Mendonça Filho, a medida tem como objetivo reduzir o número de faltantes no exame.

 

Solicitação de tempo adicional para atendimento especial será feito na hora da inscrição

 

Alunos com problemas de saúde –como diabetes e problemas de tireoide, por exemplo– que necessitem de um tempo adicional para a realização da prova deverão fazer esse pedido no ato da inscrição. Antes, a solicitação podia ser feita pelo candidato no momento da prova. Segundo Fini, a mudança é necessária para que o MEC tenha um controle do documento comprobatório da doença apresentado pelo candidato antes do dia do Enem.

 

Enem não servirá mais como certificação do ensino médio

 

A partir deste ano, o Enem deixará de certificar o ensino médio. De acordo com o MEC, o Enem não é um exame adequado para fazer esse tipo de avaliação, que voltará a ser feita pelo Encceja (Exame Nacional de Certificação de Jovens e Adultos), exame realizado pelos Estados e municípios.

 

Discussão das mudanças

 

O MEC já sinalizava intenções de modificar a estrutura de aplicação do Enem desde o segundo semestre do ano passado, quando passaram a ser debatidas as mudanças no ensino médio. O anúncio feito nesta quarta vem após a realização de uma consulta pública sobre o exame, que foi aberta entre os dias 18 de janeiro e 17 de fevereiro. Segundo o MEC, mais de 600 mil pessoas participaram da pesquisa, que incluía perguntas sobre os dias de realização do exame e o seu formato de aplicação.

 

De acordo com a pasta, 63,7% dos participantes votaram pela realização do Enem em dois dias, contra 36,3% que preferiram a aplicação das provas em um só dia.

 

Além disso, dentro da possibilidade de aplicação do exame em dois dias, 42,3% manifestaram preferência pela aplicação do Enem em dois domingos seguidos, enquanto 34,1% votaram pela realização das provas em um só fim de semana e outros 23,6% optaram por domingo e segunda-feira.

 

Na mesma pesquisa, a maioria dos participantes ainda manifestou interesse pela continuação da realização das provas em papel: apenas 29,9% votaram pela aplicação por computador.

 

 

COM INFORMAÇÕES DE UOL