Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 22/07/2016

Saiba quanto pode gastar candidatos a prefeito e vereador em Feira

urna_eletronica

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou as tabelas atualizadas com os limites de gastos de campanha e de contratação de pessoal nas Eleições Municipais de 2016. Conforme previsto na Lei das Eleições (Lei nº 9.504/97). Com 397.590 eleitores aptos, até o momento cerca de cinco pré-candidatos estão na disputa ao cargo de Prefeito de Feira de Santana e deverão gastar pouco mais de R$ 2 milhões nos dois turnos e os vereadores não poderão gastar acima dos R$ 66 mil.

 

Nas últimas eleições municipais, o candidato Zé Neto (PT) foi o campeão de gastos e investiu de R$ 1.695.168,30 na campanha. Em 2016, os pretendentes a gestão municipal terão que se adequar as leis e só poderão gastar, no máximo, R$ 1.587.234,71 no primeiro turno e outros R$ 476.170,41 caso aconteça um segundo turno.

 

O atual prefeito e pré-candidato à reeleição, José Ronaldo (DEM), no último pleito declarou um valor abaixo do estipulado em lei, tendo uma despesa de R$ 887.319, 57 e faturando as eleições logo no primeiro turno. Em contrapartida, a campanha mais modesta em 2012 foi a do terceiro colocado, Jonathas Monteiro (PSOL), que gastou apenas R$ 21.570. O último colocado, Tarcísio Pimenta, que na época concorria à reeleição, investiu R$ 340.991,20.

1 (2)
O índice de atualização dos limites máximos de gastos foi de 33,7612367688657%, que corresponde ao INPC acumulado de outubro de 2012 a junho de 2016. Para os municípios de até 10 mil eleitores e com valores fixos de gastos de R$ 100 mil para prefeito e R$ 10 mil para vereador, o índice de atualização aplicado foi de 8,03905753097063%, que corresponde ao INPC acumulado de outubro de 2015 a junho de 2016, visto que esses valores fixos foram criados com a promulgação da Lei nº 13.165/2015 (Reforma Eleitoral 2015).

 

Legislativo

 

Para os candidatos a uma vaga na Casa da Cidadania de Feira de Santana, o limite estipulado por lei é de R$ 66.792,43. Tirando esse valor como base para as últimas eleições, podemos ver que alguns dos vereadores eleitos tiveram uma despesa com valores relevantes, como o atual Presidente da Câmara, Reinaldo Miranda, o Ronny (PHS), que gastou R$ 71.334,39. Ainda entre os eleitos o que teve a campanha mais modesta foi Antônio Rodrigues (Tonhe Branco), investindo apenas R$ 3.880,00.

2

Para o cargo de vereador, o maior limite de gastos na Bahia foi estipulado para o município de Salvador. Os candidatos a uma cadeira na Câmara Municipal da capital poderão gastar, no máximo, R$ 396.701,56.

 

As informações são do TSE e Folha Estado