Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 03/12/2014

Secretaria de Educação desativa 39 escolas em Feira

jp-nReale1f69746fa5035c23839490b6c5eae98A Secretaria de Educação tornou pública e legal, através do decreto n° 9.244, veiculado na última sexta-feira( 30) no Jornal Tribuna Feirense, a desativação de 39 escolas municipais que deixaram de funcionar ao longo de aproximadamente 15 anos. A publicação é necessária para fins de regularização da vida documental de ex-alunos. Em contrapartida, 27 novas escolas estão sendo construídas atualmente no município em regiões onde há demanda por vagas.

 

Na grande maioria dos casos, mais de 70% deles, a desativação das escolas se deu na zona rural, em localidades onde se apresentou ao longo de décadas uma demanda muita baixa de alunos, como é o caso da Escola Municipal Pedro da Silva Carneiro, que funcionava na localidade de Galhardo, distrito de Ipuaçu. “A última matrícula registrada naquela escola foi de quatro alunos, dois em cada turno”, informa a secretária de Educação, Jayana Ribeiro.

 

A maior parte destas escolas é muito antiga e foi fundada há décadas em localidades rurais para atender à comunidade circunvizinha, geralmente oferecendo uma, duas ou no máximo três salas de aula. Estas unidades também não oferecem, na maioria delas, infraestrutura adequada.

 

Como a demanda de alunos ao longo dos anos se tornou inexpressiva, os poucos estudantes matriculados foram transferidos para outras escolas, maiores e que oferecem uma infraestrutura física e o corpo administrativo e pedagógico que uma escola exige, com a função de gestores, coordenadores pedagógicos, professores e funcionários.

 

Para isso, o governo municipal oferece transporte aos alunos. E, mesmo com a desativação dessas unidades, um número expressivo de escolas municipais, em torno de 50 por cento da rede, ainda está localizada na zona rural. Estão em outras localidades e principalmente nas sedes dos distritos. “Nestas, vamos paulatinamente reformando os espaços já existentes a fim de oferecer uma infraestrutura melhor aos nossos alunos e professores. Estamos investindo num novo padrão para as escolas”, observa Jayana.

 

De acordo com a secretária, as mudanças visam atender à reorganização da rede municipal. “Entre os princípios da gestão da Seduc está o reordenamento da rede como meta. Estamos constantemente acompanhando as mudanças verificadas no município para saber onde há maior demanda, onde deve-se construir novas escolas e, claro, onde não há demanda expressiva”, explica Jayana Ribeiro.

 

Recentemente, o governo municipal inaugurou a Escola M. Geraldo Dias, uma unidade de ensino de grande porte localizada no distrito de Humildes. A construção de novos espaços educativos, atualmente 27, beneficia dezenas de bairros, dentre os quais, Feira VII, Conceição II, Sim, Muchila, Santo Antônio dos Prazeres, Viveiros, Alto do Papagaio, Feira VI, Mangabeira, Brasília e Tomba, que vão ganhar escolas de Educação Infantil; Aviário, Mangabeira, Gabriela, Campo Limpo, Parque Ipê, Santo Antonio dos Prazeres, Sim, Conceição, Queimadinha e Muchila que vão ganhar escolas de ensino fundamental.

 

As informações são da Secom.