Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/02/2018

“Sem a parceria da minha esposa, meu ministério seria impossível”, diz Billy Graham

Nesta quarta-feira (14) o mundo comemora o “Valentine’s Day”, data que celebra o que é conhecido no Brasil como Dia dos Namorados. Depois de passar 63 anos ao lado de sua esposa, o evangelista Billy Graham aprendeu princípios preciosos sobre o casamento que foram relembrados nesta data.

 

“Sem a parceria e incentivo de Ruth ao longo dos anos, meu próprio trabalho teria sido impossível”, declarou Billy Graham sobre a esposa, que faleceu em junho de 2007. “Nós fomos chamados por Deus como uma equipe”.

 

Billy Graham e Ruth McCue Bell se casaram em 13 de agosto de 1943. Ela acompanhava o evangelista sempre que podia em muitas ocasiões — desde eventos com líderes importantes até trabalhos de apoio a vítimas de desastres naturais — mas na maioria das vezes tinha que ficar em casa para cuidar da família.

 

“Eu não posso acompanhar o homem. De fato, me levar para uma Cruzada Evangelística é como um general levar sua esposa para lutar com ele. Nossos momentos mais felizes juntos são em casa ou nas férias”, disse Ruth Graham há alguns anos.

 

Embora Billy Graham tenha visto milhões de pessoas se entregando a Jesus Cristo através de suas Cruzadas, dizer adeus para sua família nunca foi um momento fácil. “Muitas vezes, eu saía da garagem de casa com lágrimas escorrendo pelas minhas bochechas, não querendo sair”, ele lembra.

 

Olhando para a importância do casamento, Graham considera sua esposa como sua maior conselheira espiritual. “Quando se trata das coisas espirituais, minha esposa teve a maior influência no meu ministério”, disse ele. “Ruth e eu não tivemos um casamento perfeito, mas tivemos um ótimo casamento”.

 

A união dos dois sempre foi muito admirada por seus filhos. “A dependência deles de Deus era óbvia — a luz da minha mãe ficava acesa no final da noite e no início da manhã, enquanto estudava a Bíblia e orava. E papai, mesmo que o mundo o aclamasse como um grande homem e muitos o procurassem para o conselho, ainda ficava de joelhos e pedia humildemente ao Senhor por Sua orientação. Por meio de tudo isso, aprendemos que buscar Deus era não um sinal de fraqueza, mas sim de força”, disse Anne Graham Lotz.

 

Graham sempre destacou a importância da aliança inabalável do casamento. “O casamento não é apenas uma conveniência social ou um costume legal. O casamento vem de Deus, e é um dos seus maiores presentes para nós. Quando chegarem os momentos de estresse ou decepção (e eles virão), lembre-se que Deus os uniu, e vocês fizeram seus votos matrimoniais não só um ao outro, mas também a Ele”.

 

 

GUIAME