Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 06/08/2014

Sesab determina que médico devolva dinheiro arrecadado para reforma do HGCA

17341-2A situação precária do Hospital Geral Clériston Andrade fez com que o professor universitário no curso de Medicina em Feira de Santana e Coordenador de Residência de Clínica do Hospital Geral Clériston Andrade, César Oliveira, pedisse através do Facebook doações para a reforma dos postos de enfermagem e sala de medicação clínica médica do hospital. Na tarde da última segunda-feira (4), o iBahia entrou em contato com a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) para saber se já existia um plano para reforma do local e se já estava ciente da atitude do médico. Em resposta, a secretaria definiu a atitude irregular, precipitada e realizada sem o consentimento da diretoria do hospital e da Sesab.

 

Na nota, a secretaria também informou que apesar da iniciativa nobre do médico em nenhum momento ele foi autorizado pela instituição a realizar qualquer tipo de ação para arrecadar fundos com a finalidade de realizar reformas na unidade. Afirmando que qualquer reforma ou construção deve ser realizada, obrigatoriamente, com a ciência e acompanhamento da Diretoria de Obras, Projetos em Saúde (Diops).

 

A Sesab também informou que o médico será notificado pela diretoria do Hospital Geral Clériston Andrade, para esclarecer a situação e determinou a retirada da postagem na rede social utilizada e que todo o dinheiro arrecadado seja devolvido para os doadores. O médico juntou um total de R$5.500,00 entre os dias 30 de julho e 1º de agosto. A secretaria afirmou que caso isso não aconteça o órgão adotará as medidas legais cabíveis através da abertura de processo administrativo no sentido de apurar a conduta do médico.

 

Sobre a necessidade da reforma urgente do local, uma vez que o médico descreveu o local como precário e inadequado, a Sesab informou que desde 2007 o hospital encontrava-se em péssimas condições com relação à sua manutenção predial.

 

Segundo a secretaria, desde então já foi investido mais cerca de 9 milhões de reais em reformas e ampliações de diversos setores do Hospital Geral Clériston Andrade, inclusive, reformando e ampliando o número de leitos de UTI adulto, infantil e neonatal, promoveu a completa reforma do refeitório, de algumas enfermarias e outras instalações. Ademais, também está em fase de finalização mais um processo licitatório, no valor de R$ 780 mil, com a finalidade de promover mais um conjunto de reformas na unidade.

 

Em nota divulgada no Facebook, o médico César Oliveira afirmou que sentiu-se frustrado com a proibição, uma vez que seu objetivo era unicamente colaborar com a admistração pública. Ele informa ainda, na publicação, que já devolveu o dinheiro aos doadores e aguarda, agora, um comunicado oficial para cumprir o que for legal, já que, segundo afirma, respeita a hierarquia.

 

As informações são do Ibahia.