Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 22/05/2015

Sesp orienta sobre coleta seletiva de lixo

2052015111257Quantas vezes você já viu sacos plásticos, garrafas pet, copos descartáveis jogados indevidamente nas vias públicas? Essa situação pode gerar sérios problemas durante a temporada de chuvas, favorecendo a lentidão do escoamento da água, obstruindo galerias e bueiros e provocando alagamentos de ruas e residências.

 

Visando deixar a cidade mais limpa e agradável, a Prefeitura de Feira de Santana realiza um trabalho permanente de orientação aos moradores para incrementar o projeto de coleta seletiva. Inicialmente foram definidos como locais da coleta especial os conjuntos residenciais Milton Gomes e Centenário, além do Condomínio José Falcão da Silva.

 

Os moradores separam o lixo seco do lixo orgânico e além da coleta regular, às terças-feiras é feita a coleta seletiva, quando são recolhidos os materiais recicláveis que incluem, entre outros, plásticos, metais, vidros, papel e papelão, embalagens longa vida e isopor.

 

O material é encaminhado para a associação de catadores, onde ocorre a triagem. Para agregar valor, ali mesmo são feitas a pesagem e a comercialização, gerando emprego e renda num projeto paralelo de inclusão social.

 

“A coleta seletiva também aumenta a vida útil do aterro sanitário para onde são destinados somente os resíduos que não têm nenhum aproveitamento”, salienta Deibson de Souza Cavalcanti, chefe de Gabinete da Sesp.

 

UNIVERSIDADES

 

A expectativa é aumentar a adesão à coleta seletiva por parte da população e, com isso, permitir a expansão do serviço para outros locais. A partir dos condomínios a Prefeitura pretende avançar por todo o bairro.

 

“Independente de existir ou não coleta seletiva, o morador pode separar o material reciclável. Até mesmo o catador avulso pode recolher sem espalhar o lixo e assim facilitar a coleta regular”, orienta.

 

Ao lado de Secretaria Municipal de Serviços Públicos, participam do projeto as Secretarias Municipais de Meio Ambiente e de Desenvolvimento Social, com o apoio das Universidades Estadual de Feira de Santana e Universidade Federal do Recôncavo da Bahia.