Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 21/09/2017

Suíça investiga mistério de banheiros entupidos com notas de 500 euros

A polícia da cidade suíça de Genebra há várias semanas está tentando esclarecer a origem de grandes quantidades de notas de euro cuidadosamente picotadas com tesouras que entupiram os banheiros de um banco e três bares da cidade. Tudo que conseguiram até agora é muito papel molhado equivalente a dezenas de milhares de euros e uma vaga pista sobre duas mulheres espanholas que poderiam ter se livrado assim de um antigo depósito.

 

De acordo com informações publicadas pelo ‘La Tribune de Genève’, o primeiro alarme tocou logo antes do verão em uma agência do banco UBS, concretamente nos banheiros do andar em que se encontram os cofres individuais dos clientes. Dias depois, entupimentos semelhantes inutilizaram os banheiros de três bares da cidade para espanto dos funcionários e clientes. A polícia assumiu a investigação, embora sem acusações concretas, já que a destruição da moeda não é um crime na Suíça.

 

A promotoria tem no radar duas mulheres espanholas proprietárias durante anos de um cofre no banco de Genebra que foi o palco do primeiro incidente. Um advogado veio declarar em nome delas na delegacia, mas não forneceu qualquer informação. O que fez foi pagar todas as despesas causadas nos quatro estabelecimentos, estimadas em vários milhares de francos suíços.

 

Fontes policiais citadas por ‘La Tribune’ vinculam o episódio com a nova legislação bancária que entrou em vigor este ano na Suíça sobre a troca de informações sobre depósitos com a União Europeia, e que começará a valer a partir de 2018.

 

É provável que as mulheres, cujas identidades também são um mistério, quiseram se livrar de uma grande quantidade de dinheiro ilegal antes de declarar às autoridades, mas chama a atenção o método supostamente utilizado para este fim e a participação de cúmplices para tentar fazer o dinheiro desaparecer nos banheiros. Pelo menos um deles foi um homem que as câmeras de segurança de um dos bares filmaram com pacotes nos bolsos.

 

Poderiam ter escolhido outro método? Provavelmente. E os transeuntes menos afortunados da cidade teriam agradecido se tivessem optado por uma distribuição discreta de notas não picotadas.

 

VERDADE GOSPEL