Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/11/2014

Superintendente do PROCOM orienta consumidores com as compras de fim de ano

20229-2Com a proximidade das festas de final de ano muitos consumidores aproveitam o 13º salário para renovar móveis e eletrodomésticos. E apesar da proibição do Conselho Nacional de Seguros Privados, muitas lojas ainda realizam a venda casada de garantia estendida, embutindo o seguro opcional no preço final dos produtos sem o consentimento dos clientes.

 

A superintendente do Procon, Suzana Mendes, afirma que as pessoas devem ficar muito atentas no momento da compra, e que se mesmo assim ocorrer a venda casada, o consumidor deve procurar o Procon.

 

“A venda casada se configura na venda de um serviço ou produto que a pessoa não deseja. Ela vai comprar somente um e se vê obrigada a adquirir dois. Aqui no Procon a gente consegue desfazer essa negociação e a pessoa vai receber em dobro o valor que ela gastou com o segundo produto ou serviço”, afirmou.

 

De acordo com a superintendente, o Código de Defesa do Consumidor trata essa prática como abusiva e por isso cabe a restituição do valor em dobro ou a indenização por dano moral. A multa para quem faz a venda casada está entre R$ 200 e R$ 3 milhões. Suzana informou que em Feira de Santana o Procon, geralmente, trabalha com o valor de R$ 5 mil, por prática.

 

“Para não ocorrer esse erro, a loja deve explicar que já existe a garantia legal e que a loja também oferece a garantia estendida. Assim, a pessoa vai comprar se puder ou quiser”, esclareceu Suzana.

 

Ela informou ainda que todo final de ano o Procon realiza campanhas que ajudam e orientam o consumidor. “Temos o exemplo da divulgação de uma pesquisa de preços com produtos natalinos, também pedimos que as lojas tenham nas vitrines os preços dos produtos, entre outras ações”, finalizou.