Notícias do Mundo Gospel

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 14/05/2015

Universitários são encorajados a buscar a Deus em palestras de Michelle Obama e Denzel Washington

buscando-a-deusO ator Denzel Washington e a primeira-dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, fizeram discursos em universidades dos Estados Unidos e, em comum, encorajaram os participantes dos eventos a desenvolver o relacionamento com Deus e agir com fé.

 

“Número um: colocar Deus em primeiro lugar. Coloque Deus em primeiro lugar em tudo o que faz. Tudo o que você acha que vê em mim e pensa que eu tenho feito, tudo o que você acha que eu tenho… Tudo que eu tenho é pela graça de Deus. Entenda isso. É um presente”, disse o ator aos estudantes da Dillard University, em Nova Orleans.

 

Aplaudido pelos presentes, Washington revelou que em 1975 uma cliente do salão de beleza de sua mãe disse que ele viajaria pelo mundo, falando para milhões de pessoas: “Eu tenho sido protegido, eu tenho dirigido, eu tenho sido corrigido, eu mantive Deus em minha vida e Ele me manteve humilde”, disse. “Eu nem sempre estive com Ele, mas Ele sempre esteve comigo. Então, se mantenha com Ele em tudo que faz”, acrescentou, segundo informações do Christian Post.

 

Denzel Washington já falou por diversas vezes sobre sua fé em Cristo e disse que mantém o hábito de ler a Bíblia Sagrada diariamente.

 

Em Alabama, Michelle Obama falou aos estudantes da Universidade de Tuskegee e orientou os presentes a ter confiança nos planos de Deus: “Se você olhar acima do ruído e das pressões que te cercam, se você permanecer fiel a quem você é e de onde você veio, se você tem fé no plano de Deus para você, então você vai continuar cumprindo o seu dever”, disse a primeira-dama dos Estados Unidos.

 

Michelle usou um episódio da campanha presidencial de 2008, quando seu marido, Barack, foi eleito para o cargo mais importante do país. Antes da votação, a revista New Yorker a retratou como uma afro-terrorista, com uma metralhadora, num gesto de cumprimento ao marido, retratado como muçulmano por causa de seu nome do meio, Hussein.

 

“Naquela época, eu fiquei muitas noites sem dormir, me preocupava com o que as pessoas pensavam de mim, me perguntava se eu poderia estar prejudicando as chances do meu marido de ganhar a eleição, temia como minhas filhas se sentiriam se descobrissem o que algumas pessoas diziam sobre a sua mãe”, desabafou, antes de acrescentar que confiou em Deus e reverteu o quadro: “Mas com o passar do tempo, eu percebi que se eu quisesse manter a minha sanidade mental e que os outros não me influenciassem, só havia uma coisa que eu poderia fazer, e era ter fé no plano de Deus para mim”, concluiu.