Esportes

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 04/06/2018

Vitória é atropelado pelo Santos na Vila Belmiro: 5×2

Dizia-se que eram dois times em má fase no Brasileiro que se encontrariam na Vila Belmiro. De fato, era uma briga direta contra a zona de rebaixamento. Mas só um deles mostrou que tem elenco para reverter a situação ruim. O outro, escancarou sua fragilidade.

 

Desmantelado por oito desfalques e com um elenco limitado, o Leão acabou atropelado pelo Santos com um 5×2 neste domingo (3). Para piorar, o time voltou ao Z4, em 17º, com oito pontos.

 

Sem os laterais Bryan e Juninho, machucados, e Jeferson – que é destro mas vinha improvisado – suspenso, o técnico Vagner Mancini teve que colocar o criticado Pedro Botelho de volta em campo.

 

Mais à frente, sem contar com Willian Farias, Zé Welison e Fillipe Soutto, machucados, o jeito foi retornar o também reprovado pela torcida Uillian Correia no jogo.

 

Sem falar na escalação de Lucas, que já não vinha feito boa partida diante do Internacional, por não ter outro lateral direito no elenco. Esses são apenas três exemplos do curto espaço de manobra que Mancini tem no elenco.

 

A soma de tudo expôs, numa proporção jamais vista, a já conhecida fragilidade defensiva do Vitória. E o produto dessa multiplicação de problemas foi um jogo resolvido para o Peixe em 45 minutos.

 

O atropelo
As chances começaram com sete minutos, quando Jean Mota cobrou falta no travessão. Aos nove, Rodrygo cruzou da esquerda e Renato, livre no primeiro pau, cabeceou para a rede em posição irregular. Gol anulado.

 

Aos 14, Elias teve que se virar para defender outra cobrança de falta venenosa de Jean Mota. Aos 22, o goleiro rubro-negro não conseguiu salvar. Victor Ferraz cruzou da direita, Dodô cabeceou livre, Elias pegou, mas no rebote Rodrygo abriu o placar.

 

O atacante de 17 anos apareceu de novo aos 25 com um golaço. Recebeu na área, entortou Lucas e bateu na saída do gol de Elias.

 

Rodrygo tornou a reação mais difícil aos 30, quando recebeu de Gabriel na área, ganhou de Lucas na corrida e chutou para o terceiro. Por fim, aos 44, Pituca cruzou da direita e Renato, sem sair do chão, ganhou de Rodrigo Andrade para cabecear no gol.

 

No intervalo, Mancini tomou medidas drásticas: fez logo três alterações. Tentando diminuir o prejuízo, se lançou com tudo ao ataque.

 

Aos 17, André Lima recebeu de Neilton na entrada da área, protegeu e devolveu para o companheiro na cara do gol. Assim, o Leão diminuiu.

 

Só que, aos 28, o ímpeto de reação sofreu um duro golpe. Em contra-ataque, Rodrygo lançou Gabriel na direita e ele carregou até chutar na saída de Elias para o quinto gol.

 

Aos 38, Ramon fez o segundo do Leão ao chutar de longe. Resta agora torcer para que esta partida sirva de lição, e que o Vitória não repita nem 10% da atuação.

 

 

Correio Marco Silva / Estadão Conteúdo)