Coluna Especial

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/07/2014

Voluntariado: Um serviço para o Reino de Cristo

645eecd89862f55e86f97fb0cbe320e7Bem aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia”(Mt. 5:7).

 

UM CORAÇÃO VOLUNTÁRIO

 

Voluntariado é algo que sempre fez a diferença na vida das pessoas. Na sociedade brasileira demonstra caráter de disponibilidade, disciplina, trabalho em equipe, iniciativa e criatividade. Isso ajuda no crescimento profissional, principalmente dos jovens brasileiros. É assunto recorrente, algo bem atual e tema da moda no Brasil. As empresas e corporações sempre estão de olho em pessoas que tenham essas habilidades. Uma pessoa voluntária sempre está disposta a ajudar, contribuir, colaborar de coração aberto e contente. Geralmente essas pessoas estão inseridas em algum projeto social em seu bairro, em sua escola, em sua cidade. Fazem parte de alguma associação, clube ou instituição que logo se identificam.

 

“Os verdadeiros voluntários não estão preocupados com status, títulos, salários ou promoções porque em seu campo de atuação não existe essa possibilidade. Servir ao próximo é pedir para baixar o salário, baixar a posição religiosa, política ou social. Servir a Cristo é diminuir para Ele crescer. É descer do cavalo mesmo!! (Atos 9)”.

 

Nem sempre encontramos pessoas com essa característica e, que estejam obrigatoriamente, associadas a alguma sociedade civil sem fins lucrativos, formalizando as suas ações. Muitas vezes encontramos atitudes de disposição e disponibilidade em todos os lugares e de maneira informal. Vimos esse comportamento em escolas, faculdades, no trabalho e até em casa. São pessoas que têm o coração espontâneo. Nasceram com o dom de servir. É aqui que desejo chegar: na visão bíblica do serviço. Em ser voluntário cristão, ser servo do reino de Cristo.

 

SERVINDO À FAMÍLIA DE CRISTO

 

Em nossas igrejas podemos encontrar muitas pessoas assim. Pessoas que servem a Deus de forma especial. Que estão sempre prontas a se disporem em favor de sua família, em favor de seus amigos, em favor de seu próximo, em favor de sua congregação. Nenhum voluntário espera por aplausos. Seus corações não estão preparados para isso. Facilmente se entregam ao labor ensinado por Cristo. Sem resistência, sem força, sem precisar de pressão. Os voluntários muitas vezes são desprezados pela congregação e mal interpretados pelas críticas diretas ou indiretas que ouvem de outros irmãos, pois apesar de fazerem as coisas de forma plena e espontânea tem sempre alguém reclamando de alguma coisa. Contudo, eles não estão preocupados com isso, pois o alvo deles é alegrar o coração do Pai. Os voluntários são amorosos, cuidadosos, gentis e prestativos. Já viram gente assim? Eu conheço muitos homens e mulheres assim.

 

Testemunho de serviço

 

Cresci vendo isso em minha casa. Não éramos cristãos ainda, porém, minha mãe era a mulher que mais eu admirava na infância. Nunca vi uma pessoa mais gentil e voluntária em casa e na vizinhança do que minha mãezinha… Foi muito fácil para eu poder entender o que é servir com um coração voluntário e disponível. Cresci assim. Aos doze anos entreguei minha vida a Cristo. Anos mais tarde toda a família seria salva por Cristo. Já na igreja crescia avançava no trabalho voluntário de evangelismo. Era daqueles adolescentes que não tinha nenhuma vergonha de receber instruções de como servir melhor a Jesus e às pessoas, de carregar bancos de madeira, caixa de som e outras coisas na cabeça para levar para as esquinas de evangelismo de nossa igreja. Muita gente fala que não nasceu para ser calda e, sim, cabeça, etc…

 

Contudo acham que com esse “jargão” serão úteis a sua maneira. Não querem servir primeiro para depois ensinar o serviço, como fez o nosso mestre Jesus. Desejam de imediato uma liderança, sem ao menos ter passado pelo teste do tempo, da humildade e do serviço do reino. Eu tinha doze anos de idade quando comecei a aprender sobre o serviço cristão. É claro que não foi tão fácil assim. Lutas e perseguições, preconceitos e críticas maldosas sempre passei. Trinta e dois anos se passaram no evangelho, nada mudou quanto ao sofrer pela causa de Cristo. Mas, isso é bom. Contudo, observo muitos cristãos que são como se fossem agentes secretos do reino de Cristo porque tem vergonha de pregar o evangelho. Não fazem diferença alguma em casa, na vizinhança, no trabalho, nem na igreja. As ruas, avenidas, hospitais, abrigos, escolas, shoppings e outros lugares públicos lhes parecem ser um grande terror! Não são luzes, nem sal; Não são diferentes do mundo. Com as suas atitudes negam o próprio Jesus.

 

Jesus, porém, disse: “Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus.” (Mt. 10:33)

O Salário do Voluntário não é da terra

 

A diferença de um coração voluntario para um coração egoísta é simplesmente o AMOR. O amor que motiva o servo de Cristo a não depender de aplausos, nem de salários, amor que não gera ansiedade para ser “cabeça” de alguma coisa.

 

Autoridade é serviço (Jesus Cristo).

 

O verdadeiro servo de Cristo não se importa de ser o último da fila. Não se importa em ser pequeno no meio dos grandes. O voluntário do reino de Cristo conhece o caminho do amor, da misericórdia, do perdão e do amor. O salário de um voluntário não está na terra, está no céu. Ele sabe disso. Por isso o seu coração é de servidor sem merecer trocos. Já está tudo contabilizado no céu. E, um dia, o seu Senhor o chamará para prestar contas e entregar-lhe os tesouros de um Reino de Justiça. Isto será absolutamente incomparável e profundamente maravilhoso!
” Então aproximou-se o que recebera cinco talentos, e trouxe-lhe outros cinco talentos, dizendo: Senhor, entregaste-me cinco talentos; eis aqui outros cinco talentos que granjeei com eles. E o seu senhor lhe disse: Bem está, servo bom e fiel. Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei; entra no gozo do teu senhor”. (Mateus 25:20 e 21). Teologia sem prática não passa de um discurso vazio e inoperante.

 

É óbvio que precisamos servir dentro da legalidade, de acordo com os princípios da Lei, precisamos estar organizados no serviço, adquirir e aprimorar conhecimento, etc. Tudo isso é importante, contudo, nos dias de hoje, a correria por títulos tem sido mais frenética do que o próprio amor pelas almas, o fundamento do ensino de Cristo. Títulos e diplomas não salvam ninguém, títulos não pregam a ninguém, títulos não libertam, mas o sacrifício de Jesus na cruz do calvário a tudo sobrepuja. É impossível amar a Jesus e não desejar ardentemente compartilhar desse amor com o próximo! Não podemos servir a Deus e ao próximo em toda a sua plenitude se dentro de nós não existir o AMOR. Quando amamos de verdade e não só de palavras, nada mais é tão especial e tão importante que isso! Servir por amor. Modestamente, eu mesmo estou escrevendo voluntariamente estas linhas para a edificação do corpo de Cristo.

 

“E sede cumpridores da palavra, e não somente ouvintes, enganando-vos com falsos discursos.Porque, se alguém é ouvinte da palavra, e não cumpridor, é semelhante ao homem que contempla ao espelho o seu rosto natural. Porque se contempla a si mesmo, e vai-se, e logo se esquece de como era. Aquele, porém, que atenta bem para a lei perfeita da liberdade, e nisso persevera, não sendo ouvinte esquecediço, mas fazedor da obra, este tal será bem-aventurado no seu feito” (Tiago 1:23-25).

SERVIÇO DO REINO É UM SERVIÇO DE FÉ, ZELO E AMOR

 

Nenhum homem de Deus que vimos na Bíblia serviu nessa terra por ter medo de Deus, vendo-o se irar contra ele e a sua família. Ninguém. Nenhum profeta, nenhum rei, nenhum discípulo ou apóstolo que serviu DE VERDADE serviu por medo de receber o castigo de um Deus carrasco caso não o obedecessem, mas, o serviram, sim por FÉ, TEMOR no CORAÇÃO e AMOR. Esse AMOR não é amor de um ‘senhor de engenho’ para um escravo, mas, sim de um PAI para filho. Quando um filho serve a seu pai, não espera receber nenhum valor de volta que não seja o AMOR DO PAI. Só isso! NADA MAIS! Um filho não é escravo. É amigo. Um filho que só serve a si mesmo está fadado ao fracasso. (ver história do Filho Pródigo). Sirva ao seu Pai. Sirva a DEUS, sirva ao próximo! Compartilhe das coisas do reino de seu Pai com os outros. Seu Pai (DEUS) tem um reino e esse reino não é apenas seu. Obedeça.

 

Voluntariado fora do templo

 

As nossas igrejas estão cheias de crentes obesos na fé. Há cristãos derramando banha de bíblia, mas não compartilha dessa caloria. Tem gente fazendo sopão de letras da Bíblia somente para si! A Casa de Deus não é uma praça de alimentação cheia de gorduras e calorias onde alimentamos a “carne” em vez de alimentar o seu espírito e confortar a nossa alma. Mudemos a nossa alma (Rm. 12:1). Vamos lá fora, oferecer um pouco de pão e vinho, servir um banquete ao próximo em qualquer lugar que estivermos passando. Deixemos de pecar negando o bem porque a omissão é pecado. Mas, tenhamos calma. Devemos fazer tudo com decência e com ordem (I Coríntios 14:40). Não tenha vergonha de ser diferente. Não tenha vergonha de servir. Não tenha vergonha do evangelho.
“Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado” (Tiago 4:17)

 

CONCLUSÃO

 

Como vimos lá no início deste artigo, voluntariado (serviço sem ganância, mas cheio de compaixão) é algo que sempre fez a diferença na vida das pessoas, através de JESUS, através da vida dos profetas e nos atos dos apóstolos. Desejo que o SENHOR crie em seu coração a vontade ardente de continuar estas ATITUDES DE AMOR, DE FÉ, E DE COMPAIXÃO em nome de Jesus.
Quem deseja ser um novo voluntário do Reino de Cristo levanta a mão!!!! EEEUU, EUU, EU TAMBÉM!!!!

 
* As opiniões expressas nos textos publicados são de exclusiva responsabilidade dos respectivos autores e não refletem, necessariamente, a opinião do Portal Cidade Gospel

 

Claudio Santos

 

Líder fundador do Ministério Adore Days no Brasil. Com 32 anos de vida cristã, Claudinho, além de pastor, é músico e conferencista. Claudinho também é coordenador e voluntário das Missões Adore na Amazônia. É casado, pai de duas lindas princesas.