Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 17/08/2018

A Igreja não deve se servir da política, mas influenciar para o bem, alerta apóstolo

A Igreja deve ter um papel único e relevante na sociedade. Com esse conceito, o apóstolo Luiz Hermínio, fundador da MEVAM (Missões Evangelísticas Vinde Amados Meus), afirmou que é preciso amadurecer a forma como muitos evangélicos veem a atuação que irmãos na fé têm na política.

 

“A Igreja não tem que se servir da política, ela tem que servir como fundamento espiritual, porque Deus capacitou o homem para governar”, afirmou Luiz Hermínio em uma entrevista recente.

 

O embasamento da visão do pastor é a passagem bíblica de Gênesis 1:28: “Deus os abençoou, e lhes disse: ‘Sejam férteis e multipliquem-se! Encham e sujeitem a terra!’. Deus estava dizendo: ‘Eu te abençoo para governar’. O problema é que as pessoas vão à igreja atrás da bênção, mas Deus já as abençoou”, declarou ao portal Guia-me.

 

Segundo Hermínio, a Igreja não deve usar a política para seu benefício próprio, mas inspirar os políticos a servirem a sociedade: “Quem serve a mesa da Igreja é Deus. Deus protege o que Ele promove. Em muitas ocasiões, a igreja entra na política para se servir do dinheiro público ou da posição política. E nós não temos que fazer isso, porque somos profetas”, conceituou.

 

“Os profetas nunca chamavam os reis, eram os reis que chamavam os profetas. Os governos têm que chamar os profetas, e os profetas não podem ser tendenciosos e militar em causas próprias denominacionais. Eles têm que militar em favor do Reino de Deus”, acrescentou.

 

Ao final, o apóstolo declarou que não tem intenção de seguir carreira fora do ministério: “Eu não tenho chamado político, meu chamado é ser pastor. […] A Igreja deve ter cuidado para não ser usada como moeda política, mas ela deve influenciar. Até porque o trabalho da Igreja não é reunir pessoas no domingo, mas fazer transformação social e transformar o caos em bênção”

 
Gospel +