Versículo do dia
Antes, sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo.

Abaixo assinado quer impedir derrubada de árvores por BRT

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

6f47c1a73104444d16550ea356dcf6c1Uma petição online hospedada desde sexta-feira (15) no site Avaaz pede que o Ibama intervenha para impedir a retirada de árvores na avenida Getúlio Vargas para implantação do BRT. Organizado por um usuário identificado apenas como Isabela B., o protesto vem ganhando durante todo este sábado várias assinaturas novas por minuto. No início da manhã a meta era alcançar 400 apoios. Com o rápido crescimento o alvo foi sendo empurrado mais para cima à medida que era atingido: 500, 750, 1.000 e no momento (início da noite de sábado) caminha para alcançar a meta de 2.000. Petição no mesmo site contra o aumento do IPTU em abril estagnou em 1.863 após várias semanas no ar.

 
O plano de paisagismo elaborado pela empresa Prisma, que a prefeitura contratou para fazer o projeto do BRT prevê que serão mantidas 1.464 árvores, retiradas 136 e plantadas 352 de pequeno porte, 145 de médio porte e nove de grande porte. Mas não entra em detalhes. Não se explica quais serão retiradas nem onde serão colocadas as novas.

 

 

O projeto do paisagismo foi entregue pela Prisma em maio, mas só veio a público terça-feira, quando o secretário Carlos Brito compareceu a uma reunião do Conselho Municipal de Meio Ambiente, cujos membros pediram as informações.

 

 

Desde que começou a ser esboçado o projeto do BRT, houve desconfiança e resistência à ideia de retirada de árvores. Técnicos faziam medições no canteiro central, levantando a suspeita de que os ônibus circulariam por ali. É o que de fato vai ocorrer, mas sem perda de vegetação e até com algum ganho, de acordo com o esboço feito pela Prisma. No entanto a desconfiança só fez crescer a partir do fato de que a prefeitura negou com veemência a retirada de árvores, depois admitiu que sairia um número insignificante e agora revela que passam de 100.

 

No texto do abaixo assinado são lembradas outras agressões ao ambiente que a cidade tem sofrido. “O avanço urbano tem aterrado as lagoas que fizeram parte da nossa história e destruído ícones importantes da cultura de nossa cidade”.

 

A petição ressalta que como o governo prevê o início das obras para dezembro, é preciso agir logo. “É de extrema importância que a obra seja impedida antes de iniciada. Não podemos deixar que destruam a nossa vegetação, a derrubada de árvores centenárias é um crime ambiental”, apela o documento. É questionável se há árvores centenárias naquele espaço, visto que há 100 anos a própria avenida não existia na extensão que tem hoje. Mas o texto alega que são remanescentes da vegetação original.

 

As informações são de Glauco Wanderley- Tribuna Feirense.

OUTRAS NOTÍCIAS