Notícias

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 09/07/2019

Aberta programação de comemoração pelo 14º aniversário da Fundação Egberto Costa

A noite da última quinta-feira, 04, foi marcada pela abertura dos festejos em homenagem aos 14 anos da Fundação Municipal de Tecnologia da Informação, Telecomunicações e Cultura Egberto Tavares Costa. O palco escolhido foi o do Teatro Municipal Margarida Ribeiro, um dos equipamentos da FUNTITEC que recebeu o coral Maestro Miro, e a peça “Hoje eu não tô boa”.

 

A FUNTITEC completa neste mês 14 anos de existência, e para comemorar, os equipamentos que fazem parte da fundação serão palco para diversas apresentações durante o mês de julho.

 

O primeiro equipamento a receber a programação foi o Teatro Municipal Margarida Ribeiro, que desde 2002 desenvolve atividades junto a Fundação, e que é dirigido por Luluda Barreto, chefe da divisão de Artes Cênicas, Música e Áudio Visual.

 

Segundo ela, a FUNTITEC é de suma importância para a cidade. “Nós, como Fundação temos o dever de fazer a cultura acontecer, e temos tido bons resultados”, afirma Luluda.

 

Quem abriu a noite foi o prefeito Colbert Martins Filho com um discurso sobre o papel da Fundação com a cultura feirense. O prefeito ressaltou a importância da tecnologia no viés cultural. “Vivemos em um mundo altamente tecnológico, que acaba nos possibilitando a difusão da cultura. Esta cultura não é só a do conhecimento, mas a que fortalece as relações sociais e a valorização da nossa tradição”, descrevu Colbert.

 

A Fundação foi criada na gestão do ex-prefeito José Ronaldo de Carvalho, com a intenção de fortalecer a cultura na cidade. Ele participou da noite de comemorações e falou um pouco sobre a homenagem à Egberto Costa. “Egberto Tavares Costa foi um cidadão extremamente decente, ético e respeitador que fez um grande serviço ao jornalismo de Feira de Santana. Ao prestar essa homenagem, podemos perpetuar seu nome àquilo que ele amava, que era a cultura”, ressaltou.

 

Ele ainda lembrou a participação de Egberto na comunicação da cidade. “Esteve presente em muitos veículos de comunicação, e foi também secretário de Comunicação. Eu tenho certeza que a Fundação tem feito seu papel em Feira de Santana ao propagar a cultura e a informação”, completou.

 

Em seguida o Coral Maestro Miro, sob regência da maestrina Celiah Zaiin, fez uma apresentação da canção do feirense Carlos Pita, “Todos os caminhos levam a Feira de Santana”, e do Hino de Feira de Santana, composto pela também feirense Georgina Erismann.

 

A última apresentação da noite se deu pela peça “Hoje eu não tô boa”, dirigida e protagonizada pelo feirense Adrianno Lima. Para Adrianno, o incentivo a cultura para quem quer ser artista é fundamental. “Tem que ter incentivo porque muitas vezes nós temos o interesse, mas não podemos custear as aulas, ou até mesmo assistir as apresentações”, afirma o artista que já apresentou suas peças no país inteiro, e também na Europa.

 

A Fundação Egberto Costa é uma autarquia da Prefeitura Municipal de Feira de Santana, responsável pela manutenção de 11 equipamentos que funcionam levando a cultura em toda cidade.

 

Secom