Acidentes com ciclomotores aumentaram mais 50 por cento em 2014

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

2722015162519O número de acidentes com os veículos ciclomotores, mais conhecidos como “cinquentinhas”, aumentou aproximadamente 50% entre os anos de 2013 e 2014 em Feira de Santana. Atento a isso, o Governo Municipal criou um projeto de lei para regulamentar o uso deste tipo de veículo no município.
O Projeto de Lei Nº 006/2015 prevê o registro e licenciamento anual dos veículos ciclomotores e veículos ciclo-elétricos, atendendo as exigências do Código Brasileiro de Trânsito.

 

Também está previsto na lei a proibição da modificação estrutural destes veículos, não podendo ser alterada sua capacidade de cilindradas nos motores e torna o condutor responsabilizado civil e criminalmente pela procedência do equipamento veicular.

 

Os ciclomotores terão Certificado de Registro de Veículos Ciclomotores (CRVC) e o comprovante de pagamento do Licenciamento Anual, que deverão ficar de porte dos condutores. Os veículos também ganharão placas com sete caracteres, sendo três letras e quatro números.

 

A lei entrará em vigor a partir de 180 dias após a sua publicação e as pessoas que já possuem o veículo terão 60 dias para fazer a regularização. Após esses prazos, se o condutor for flagrado circulando sem licenciar ou sem portar o documento de licenciamento, o veículo será apreendido, e só será liberado após a regularização.

 

ESTATÍSTICA

 

No ano de 2013 o número de acidentes em Feira de Santana envolvendo ciclomotores foi de 156, sendo que deste total, 61 foram com vítimas. Em 2014 o aumento foi de mais de 50%, com 235 acidentes. No último ano, 102 foram com vítimas e quatro com vítimas fatais.

 

Segundo o superintendente municipal de Trânsito, Francisco Júnior, esse projeto vai colaborar com a fiscalização e punição dos infratores. “Estamos apenas realizando uma ação que vai dar controle na fiscalização. Eles terão placas e será mais fácil de identificar os condutores”, observa.

 

Francisco Júnior também explica que a Autorização de Condução de Ciclomotores (ACC), o uso de capacetes e de vidros retrovisores já é uma determinação do Código de Trânsito Brasileiro. “Essas normas já existem, mas hoje ainda não podemos fiscalizar, pois não há regulamentação. Com o projeto entrando em vigor, eles terão que se adequar”, explica.

 

As informações são da Secom

OUTRAS NOTÍCIAS