Versículo do dia
Pensai nas coisas que são de cima e não nas que são da terra.

Água de algumas nascentes da sub-bacia do Jacuípe está imprópria para consumo

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

O resultado da análise físico-química das amostras de água coletadas pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMMAM) no Rio Jacuípe, trecho do bairro Três Riachos (Br 116 /Sul), apresentou alteração na quantidade do Oxigênio Dissolvido (OD). Enquanto a média necessária para a sobrevivência dos organismos vivos, como peixes, crustáceos e quelônios, é de 5.2 a 5.8, os valores do OD apresentados nas amostras foram de 1.28.

A informação está sendo divulgada pelo chefe do Departamento de Educação Ambiental, João Dias. As análises da água são resultado das ações comemorativas pelo Dia Mundial do Meio Ambiente – 5 de junho – realizadas pelo órgão municipal.

Enquanto isso, a análise microbiológica das duas nascentes da Sub Bacia do Rio Jacuípe, sendo elas Fonte da Tereza, localizada no bairro Rua Nova, e Nascente das Flores, no São João do Cazumbá, e a do próprio rio apresentaram alteração. Sendo assim, a água de nenhuma delas pode ser consumida sem passar por tratamento. Está inadequada para ingerir, para o banho e o consumo de pescado, no trecho analisado, também não é recomendado.

O resultado apontou contaminação por coliformes fecais e número elevado na quantidade de bactérias heterotróficas – sete vezes mais que o valor máximo permitido que é de 500 bactérias por 1ml. “Foi encontrado até quatro mil bactérias heterotróficas em 1 ml”, informa João Dias.

Segundo o chefe do Departamento de Educação Ambiental, a SEMMAM deverá desenvolver um trabalho educativo após a pandemia do coronavirus. Contudo, João Dias ressalta que a função de cuidar da água é da concessionária que presta serviço ao Município. O Inema é o órgão fiscalizador dos recursos hídricos.

Secom

OUTRAS NOTÍCIAS