Versículo do dia
Porque o Senhor assim no-lo mandou: Eu te pus para luz dos gentios, para que sejas de salvação até aos confins da terra.

Antes das chuvas, feirense deve adotar medidas de prevenção contra mosquito aedes

Share on facebook
Share on twitter
Share on google
Share on whatsapp

9122015144458As trovoadas ainda não chegaram, mas o perigo pode estar depositado nas paredes de reservatório de água ou em qualquer outra vasilha que acumula água. Uma casca de ovo ou uma tampa de garrafa, por exemplos, já são suficientes. O perigo são os ovos do mosquito aedes aegypti, que transmite a dengue, zika e a chikungunya, que podem estar apenas esperando a água para eclodir. E o verão, a estação preferida pelos insetos para se reproduzir, se aproxima.

 

É aí que mora o perigo da contaminação. “O comportamento de todos os cidadãos deve ser de prevenção”, afirma o coordenador de Endemias do município, Edilson Matos. “Não oferecer condições para que o mosquito se reproduza é a única opção para que não enfrentemos problemas com estas doenças”. Ele comenta que as chuvas que costumeiramente caem no período estão atrasadas, mas que elas chegarão.

 

Edilson Matos disse que os agentes de endemias estão usando larvicida nas visitas domiciliares, realizadas a cada 45 dias, mas os moradores devem estar atentos aos seus comportamentos. O larvicida é colocado em pontos que consideram ideais para a reprodução do mosquito. “Eles (os moradores) devem fazer a parte deles, que é adotar um comportamento de prevenção.

 

Além do produto que destrói as larvas, os agentes de endemias estão usando as bombas costais, tidas como eficientes no combate direto ao mosquito na sua fase alada da vida. Geralmente a contaminação acontece quando um mosquito pica uma pessoa infectada e passa o vírus das doenças para outra ou mais pessoas.

OUTRAS NOTÍCIAS