Destaques

Portal Cidade Gospel | Redação | Publicado em 15/08/2018

Após ameaçar pastor de morte, líder do tráfico se converte e também se torna pastor

Atualmente a Colômbia figura entre os países que mais perseguem cristãos no mundo. Ocupando a posição número 49 da lista anual publicada pela organização Portas Abertas, o país infelizmente enfrenta uma grave crise institucional devido aos carteis de drogas e, principalmente, pelo histórico terrorista do grupo Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

 

Quem relatou um pouco do cenário de perseguição religiosa na Colômbia e contou o testemunho de conversão de um ex-guerrilheiro das FARC, foi o missionário e secretário geral do ministério Portas Abertas no Brasil, Marcos Cruz, durante uma pregação na Igreja Batista da Lagoinha.

 

“As pessoas têm um emprego na plantação de coca e quando se convertem, quebram a cadeia produtiva. A pessoa fala: ‘Isso não está certo, eu vou sair’ e aí é ameaçado de morte”, disse Marcos, explicando como os líderes do tráfico ficam revoltados com o avanço do evangelho.

 

Os traficantes não querem perder a mão de obra nas plantações de coca (planta que contem o princípio ativo da cocaína), nem da sua força militar. Cada conversão significa uma derrota para o tráfico, fazendo com que os missionários, pastores e cristãos em geral sejam vistos como inimigos.

 

“A gente tem que ser sal e luz, gente. A Igreja é sal e luz na Colômbia e quando uma pessoa que participava desse processo de produção se converte, quebra o esquema. Aí os traficantes ficam bravos”, completa o missionário.

 

Testemunho de conversão
Marcos Cruz narrou o episódio em que um dos líderes das FARC decidiu por conta própria agir contra um pastor local, decidindo lhe matar, caso ele permanecesse evangelizando em seu território.

 

“Ele encontrou o pastor e falou assim: ‘Sai daqui, eu sou chefe de uma tropa e se quiser, eu tiro a sua vida. Sai dessa região’. Ele estava armado, mas o pastor também estava armado”, disse o missionário, mostrando sua Bíblia na mão.

 

“O pastor falou o seguinte, segurando a Bíblia: ‘Deus disse para eu pregar a Palavra de Deus. Você pode fazer o que quiser, até tirar a minha vida, mas daqui eu não saio. Deus está me dizendo que se você tirar a minha vida, você vai pregar o evangelho no meu lugar’”, contou Marcos, destacando que “aquela foi a primeira vez que um guerrilheiro teve medo”.

 

Em certa ocasião, quando o guerrilheiro (que não teve o nome revelado por razões de segurança) foi realizar um novo atentado, ele se viu no meio de uma troca de tiros. Todos os seus homens conseguiram fugir, menos ele. Foi nessa hora que ele lembrou do pastor e resolveu fazer uma oração:

 

“Deus daquele pastor, eu não acredito que você existe. Mas se você me livrar dessa emboscada, vou pregar o evangelho e vou serví-lo pelo resto da minha vida”, disse ele durante o sufoco.

 

De fato, segundo o missionário, Deus proveu livramento para o então guerrilheiro, que logo em seguida se converteu e atualmente vive como um pastor e evangelista nas terras em que antes atuava como líder do tráfico. Assista a fala de Marcos Cruz abaixo:

 

 
Gospel +